Polícia Civil de Rondônia alerta sobre golpes que acontecem durante o final do ano e como evitá-los

Postagens Recentes

3/recent/post-list

Mundo

3/Mundo/post-list

Geral

3/GERAL/post-list

Ad Code



Polícia Civil de Rondônia alerta sobre golpes que acontecem durante o final do ano e como evitá-los



Comércio passa a ser bastante movimentado, por conta do pagamento de 13° salário e dos festejos de fim de ano

Porto Velho, RO - Com a aproximação do final do ano, o comércio passa a ser mais movimentado por conta das festividades, onde as pessoas circulam para fazer compras, viajar, além de trocar o veículo antigo por um novo. Com o dinheiro circulando pelo comércio, atrai a atenção de golpes aplicados por estelionatários, que veem a oportunidade de aplicar o crime contra a sociedade. A Polícia Civil de Rondônia, por meio do Núcleo de Combate à Defraudações, faz um alerta para que a população não seja vítima de golpes e levem prejuízos financeiros neste final de ano.

O delegado titular do Núcleo, Swami Otto, faz um relato sobre as práticas mais comuns de golpes que ocorrem nesta época. “É um período em que o comércio se encontra aquecido, com o 13º salário na conta, festas natalinas e a Black Friday, de final de ano. Tudo isso é questão do mercado e justamente nesta época, os crimes de golpes financeiros aumentam, especificamente por telefone e até mesmo, em plataformas digitais”, declarou Swami Otto.

O governador de Rondônia, Marcos Rocha, pontua que a Polícia Civil do Estado de Rondônia, por meio de seus departamentos, “tem atuado firme, para garantir a segurança neste final de ano, trabalhando nas investigações e reforçando as ações para que a população rondoniense não tenha prejuízos”, disse.

GOLPE DO INTERMEDIADOR



Delegado Swami Otto explica sobre as práticas de golpes

Este golpe é praticado por pessoas que utilizam plataformas de vendas, página de vendas em redes sociais, onde um anúncio verdadeiro é clonado, com um preço mais atrativo e a partir de então, com a publicação, os interessados começam a aparecer e o golpista, passa a ser o intermediador da negociação.

Para o verdadeiro vendedor, o golpista diz que está interessado em comprar, e ao verdadeiro comprador, está interessado em vender. “O golpista então se coloca no meio, de forma que até se encontram, mas sem conversar com outros que existe essa pessoa em comum e faz com que seja levado dinheiro até a conta indicada pelo mesmo”.

O titular do Núcleo de Combate à Defraudações explica que, “quando as pessoas percebem, o dinheiro já sumiu há muito tempo. Isso é muito comum, pois às vezes a pessoa juntou dinheiro durante o ano inteiro, com o 13º para comprar ou trocar de carro, e no final de tudo, acaba tendo prejuízo por cair no golpes. É preciso tomar muito cuidado com esse tipo de compra”.


População também deve ficar atenta para golpes nas redes sociais, alerta Polícia Civil

DICAS

Swami Otto faz um alerta à população, para que não caia em nenhum tipo de transação feita pela internet. “A orientação é nunca fazer compras em sites não confiáveis, nunca fornecer dados do cartão de crédito para terceiros, e não fazer transferências para contas de pessoas que sejam estranhas à negociação, sempre para quem esteja negociando diretamente, para não haver riscos”.

As redes sociais também viraram canais para a prática de golpes. Swami Otto também chama a atenção para as invasões de contas dos usuários, especificamente no Instagram, onde os golpes praticados pelos criminosos viraram mais rotineiros.

“Hoje são vários usuários que já tiveram seus perfis invadidos, e começam a ser publicados anúncios de vendas de produtos para ajudar alguém, além das tabelas do Pix, com a promessa de que se for mandado um valor pequeno, receberá o dobro ou até mais. Qualquer oferta fácil anunciada pela internet, pode ser considerada golpe”, salientou a autoridade policial.

SEGURANÇA

O titular da Núcleo de Combate à Defraudações, também dá dica de segurança para garantir a proteção dos perfis em redes sociais. “É importante sempre habilitar um código de segurança, com gerenciadores de senhas, e também, nunca deixar como forma de recuperação de senha, o número de telefone, principalmente se for comercial”.


Fonte: Secom - Governo de Rondônia
Texto: Richard Neves
Fotos: Ésio Mendes e Daiane Mendonça


Postar um comentário

0 Comentários