Kim Kardashian vai pagar multa de US$ 1,26 milhão por propaganda indevida com criptoativo

Empresária não deixou claro que estava sendo paga para promover investimento

Porto Velho, RO
- A Securities and Exchange Commission (SEC), órgão regulador do mercado americano, está acusando a influenciadora digital Kim Kardashian de promover nas mídias sociais os tokens EMAX, um ativo criptográfico oferecido e vendido pela EthereumMax sem divulgar o pagamento que teria recebido para promover o investimento.

A SEC disse que Kardashian recebeu US$ 250 mil para postar em sua conta do Instagram sobre os tokens EMAX. Sem admitir ou negar as descobertas da SEC, Kardashian concordou em pagar US$ 1,26 milhão em multas e juros, e cooperar com a investigação em curso do órgão, equivalente a Comissão de Valores MObiliários (CVM) no Brasil.

O valor a ser pago pela influencer inclui aproximadamente US$ 260 mil em restituição, que representa seu pagamento promocional, mais juros de pré-julgamento, além de uma multa de US$ 1 milhão.
As mulheres mais ricas do Brasil de acordo com a lista da Forbes

Kim Kardashian concordou em não promover quaisquer títulos de ativos criptográficos por três anos. A investigação da SEC ainda continua em andamento.

No início de setembro, a influenciadora digital anunciou a abertura de uma empresa para entrar no mundo do private equity. Ela fez parceria com ex-executivo do Carlyle Group, Jay Sammons, para lançar companhia que investirá no setor de consumo e mídia.

A SEC tem alertado frequentemente que celebridades que divulgam criptomoedas precisam deixar claro aos investidores se são pagos pelo apoio. Em 2018, o regulador multou o Boxer Floyd Mayweather e o produtor musical DJ Khaled por não divulgarem os pagamentos que receberam por promover ofertas iniciais de moedas.

“Este caso é um lembrete de que, quando celebridades ou influenciadores endossam oportunidades de investimento, incluindo títulos de criptoativos, isso não significa que esses produtos de investimento sejam adequados para todos os investidores”, disse o presidente da SEC, Gary Gensler, em comunicado nesta segunda-feira. “Encorajamos os investidores a considerar os riscos e oportunidades potenciais de um investimento à luz de seus próprios objetivos financeiros.”

O principal regulador de Wall Street afirma há muito tempo que muitos tokens virtuais são títulos e estão sob sua jurisdição. Para determinar se algo é um título, a SEC aplica um teste legal, que vem de uma decisão da Suprema Corte de 1946. Sob essa estrutura, um ativo pode estar sob a alçada da SEC quando envolve investidores que investem dinheiro com a intenção de lucrar com os esforços da liderança da organização.


Fonte: O GLOBO

Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu