Ucrânia pressiona para retomar toda a terra ocupada pela Rússia

País pede ao Ocidente que acelere entrega de armas

Porto Velho, RO
- A Ucrânia disse, nesta terça-feira (13), que pretende liberar todo o seu território, depois de expulsar forças russas no Nordeste do país em uma ofensiva rápida, mas pediu ao Ocidente que acelere as entregas de sistemas de armas para apoiar o avanço.

Desde que Moscou abandonou seu principal reduto no Nordeste da Ucrânia no sábado (10), em sua pior derrota desde os primeiros dias da guerra, as tropas ucranianas recapturaram dezenas de cidades em impressionante mudança de disposição no campo de batalha.

Os combates ainda estão ocorrendo na região de Kharkiv, disse a vice-ministra da Defesa, Hanna Malyar, à Reuters, acrescentando que as forças da Ucrânia estão fazendo bom progresso, altamente motivadas, e que sua operação está bem planejada.

"O objetivo é libertar a região de Kharkiv e além - todos os territórios ocupados pela Federação Russa", disse ela na estrada para Balakliia, um centro de abastecimento militar crucial recapturado pelas forças ucranianas no fim da semana passada, que fica 74 quilômetros a sudeste de Kharkiv, a segunda maior cidade da Ucrânia.

Em discurso por vídeo nessa segunda-feira (12), o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskiy, afirmou que o Ocidente precisa acelerar as entregas de sistemas de armas, pedindo aos aliados da Ucrânia que "fortaleçam a cooperação para derrotar o terror russo".

Desde a invasão da Rússia em 24 de fevereiro, Washington e seus aliados forneceram à Ucrânia bilhões de dólares em armas que, segundo Kiev, têm ajudado a limitar os ganhos de Moscou. As forças russas controlam cerca de um quinto do país no Sul e no Leste, mas a Ucrânia está agora na ofensiva em ambas as áreas.

Os militares ucranianos não relataram hoje nenhum novo avanço. Eles disseram que as forças russas estão bombardeando partes da região de Kharkiv retomadas pela Ucrânia e atacando mais ao sul na região de Donetsk, que Moscou está tentando capturar para separatistas.


Fonte: Agência Brasil

Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu