Comissão espanhola conhece potenciais de Rondônia para viabilizar novas relações comerciais


Governo de Rondônia destaca avanço das cadeias produtivas com qualidade, tecnologia e sustentabilidade

Porto Velho, RO - A ministra conselheira de Agricultura, Pesca e Alimentação da Embaixada da Espanha, Maria Elisa Barahona Nieto, e o cônsul honorário, Fernando Bravo Sanchez, estiveram na manhã desta segunda-feira (4), no Palácio Rio Madeira, sede do Governo de Rondônia, em Porto Velho, onde foram recepcionados pelo vice-governador do Estado José Jodan, em uma reunião de apresentação dos potenciais do agronegócio e turismo rondoniense.

Desta forma, foi dada a abertura a visita diplomática da Espanha que se estenderá até o próximo sábado (9) com o intuito de estudar a ampliação de relações comerciais com Rondônia. José Jodan, que representou o governador Marcos Rocha, no encontro, destacou que o agronegócio de Rondônia está crescendo com tecnologia, assistência adequada e cuidado com o meio ambiente, e com a valorização da agricultura familiar.

‘‘Rondônia é um Estado novo, mas forte no agronegócio, com cadeias produtivas que são destaque no país. A carne, o leite, os grãos, o café e a piscicultura são pilares da sustentação econômica ligada ao agronegócio, mas também temos uma diversidade de outras culturas que somam na economia do Estado, a exemplo do cacau.

Temos uma produção integrada envolvendo soja, milho e gado, somos autossuficientes em arroz, e temos o maior rebanho bovino livre de aftosa sem vacinação. Nosso trabalho é focado em produzir com qualidade e com muito respeito ao meio ambiente’’, disse o vice-governador.

Encantada com o potencial do agronegócio rondoniense, Maria Elisa Barahona Nieto, ressaltou a possibilidade de ampliar relação comercial

QUALIDADE

Ele pontuou ainda que a busca pela qualidade da produção do campo fez com que Rondônia tenha sido premiado por ter os melhores cafés do Brasil. Além de ter conquistado a classificação do queijo de ouro em uma avaliação ocorrida no Estado de Minas Gerais, que premiou os melhores queijos do mundo. José Jodan ainda apresentou a Rondônia Rural Show como uma grande oportunidade para o turismo de negócios.

‘‘Esse ano teremos 600 expositores e a estimativa de receber mais de 200 mil visitantes, e alcançar R$ 1 bilhão em negócios realizados. É a maior feira do agronegócio da região Norte, e irá acontecer a partir do dia 23 de maio’’.

Somado a feira, o vice-governador ainda apresentou o festival do tambaqui que tem levado os peixes de Rondônia para o Brasil e o mundo. O Estado é o maior produtor de peixes nativos e o terceiro maior produtor de peixes em geral do país, sendo o tambaqui e o pirarucu as principais espécies cultivadas.

INTERESSE ESPANHOL

Encantada com o potencial do agronegócio rondoniense, a ministra conselheira de Agricultura, Pesca e Alimentação da Embaixada da Espanha, Maria Elisa Barahona Nieto, ressaltou que há possibilidade de aumentar relação comercial com Rondônia. ‘‘Foi tudo interessante o que ouvi sobre Rondônia. O que mais nos agrada nesse Estado é saber que é um grande produtor de alimentos’’, disse.


Produção de alimento e turismo rondoniense foram as principais pautas discutidas na reunião

‘‘Ficamos sabendo da soja, do cacau, do café, que não conhecíamos. O interesse principal da Espanha nesta visita a Rondônia é a aquicultura, pois sabíamos que o Estado é terceiro maior produtor do Brasil, mas depois desta reunião acho que podemos conseguir muito mais cooperações e aprimorar o comércio, e pensamos em organizar uma visita das autoridades de Rondônia a Câmara de Comércio da Espanha para definir os produtos interessantes para exportar aos espanhóis’’.

RELAÇÃO INTERNACIONAL

O gestor da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec), Avenilson Trindade, pontuou que Rondônia vive um ciclo econômico sólido e crescente, com instituições estaduais maduras para criar e aplicar políticas públicas. Condição que permite a Rondônia abastecer o mercado interno e também alcançar o mercado externo com o que é produzido em diversas cadeias produtivas.

Ele sinalizou que com os impactos da guerra da Rússia contra a Ucrânia, Rondônia e Espanha podem oferecer solução um para outro para suprir a necessidade de produtos afetados pelo conflito, seja devido a destruição da Ucrânia ter inviabilizado a produção agrícola do país, ou seja, devido às sanções econômicas aplicadas à Rússia.

Assim, o milho cultivado em Rondônia pode alcançar o mercado espanhol em grande escala, e os fertilizantes espanhóis podem chegar até Rondônia. As tratativas para essas relações comerciais ainda estão sendo desenhadas.


Espanha sinalizou interesse por milho cultivado em Rondônia para suprir déficit deixado pela Ucrânia de quem o país comprava 40% do milho, antes da guerra

A ministra pontuou que estuda importar o milho de Rondônia com a flexibilização das regras de importação de milho proveniente do Brasil, que ocorreu devido aos impactos da guerra. ‘‘Precisamos do milho para alimentar o gado’’, pontuou.

Avenilson explicou a atual relação comercial entre a Espanha e Rondônia. ‘‘As exportações do Estado de Rondônia com destino ao país hispânico inclui principalmente grãos, madeira, carne congelada, mas acreditamos que outros produtos também possam ser interessantes para a Espanha como os peixes, laticínios, cacau e aves. E Rondônia compra da Espanha, principalmente fertilizantes, cimentos, argamassa, frutas, vinhos, licores, azeite, hortaliças e produtos químicos orgânicos’’.

Além disso, o secretário pontuou que Rondônia ocupa o lugar estratégico com alcance de mercado pelo Atlântico e também pelo Pacífico. O vice-presidente da Fecomércio, Júlio Gasparello, reforçou que o fato de Rondônia ser multimodal, tendo rodovia que corta todo o Estado, aeroporto e hidrovia, faz dele um grande atrativo para escoamento de produtos para qualquer lugar do mundo.


Rondônia avança em políticas públicas de promoção do agronegócio sustentável e rentável para os produtores

SUSTENTABILIDADE

O secretário-adjunto de Estado da Agricultura (Seagri), Marcílio Leite, destacou a missão de avançar em Rondônia com um agronegócio sustentável e também rentável para os produtores, o que ajuda e evitar o êxodo rural, melhora a qualidade de vida das famílias do campo, e ainda gera desenvolvimento, tornando o Estado mais próspero. ‘‘A piscicultura e as atividades agrícolas são praticadas em pequenas propriedades rurais de Rondônia e cada vez mais estamos em busca de agregar rentabilidade por meio de agroindústrias’’.

Também pontuou que é uma prioridade de gestão a recuperação de nascentes para garantir os recursos hídricos, pois a irrigação é fundamental para o desenvolvimento de culturas agrícolas, especialmente a cafeicultura. E ressaltou o pioneirismo de Rondônia em sustentabilidade. ‘‘Rondônia é o primeiro Estado do país com projeto de carbono comunitário, onde mostramos que é possível agregar serviços sem interferir na floresta’’, considera.

TURISMO

O superintendente do Estado do Turismo (Setur), Gilvan Pereira, pontuou que Rondônia também tem uma grande potencialidade no turismo, além de uma cultura com influência de diversos povos, pois o Estado acolheu o Brasil e o mundo em seus ciclos de povoamento.


Rondônia é o terceiro maior produtor de peixes do país

‘‘Temos uma gastronomia forte, principalmente com destaque para os peixes, e entre eles o tambaqui, temos comunidades indígenas receptivas a turistas; é um Estado cheio de rios, o que impulsiona o turismo de pesca. Há também hotéis em meio a selva, belezas naturais diversas com morros e cachoeiras, um grande conteúdo arqueológico’’.

Ele ainda acrescentou que o turismo de Rondônia ainda inclui monumentos importante para a história do Estado como o Real Forte Príncipe da Beira, a maior fortaleza de Portugal no Brasil, a Estrada de Ferro Madeira-Mamoré (EFMM), as Três Caixas d´Água, e o Museu Marechal Rondônia, e que existe um forte trabalho de divulgação do turismo rondoniense por meio políticas públicas adotadas pelo Governo de Rondônia.

A comissão espanhola deve visitar ainda pontos turísticos, propriedades rurais e frigoríficos em Rondônia.

Fonte: Governo de Rondônia

Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu