Rússia está à beira de um 'colapso' semelhante - ou até pior - à crise de 1998, alerta JPMorgan


Economistas do banco esperam contração de 7% no PIB russo neste ano. Na crise da dívida no fim da década de 90, a economia do país encolheu 5,3%

Porto Velho, RO - A Rússia está a caminho de um colapso econômico que rivalizará ou até ofuscará o tamanho da crise de 1998 que se seguiu ao calote da dívida russa, embora as consequências financeiras possam ser menores do que naquela ocasião.

Dias depois de o presidente Vladimir Putin ordenar a entrada de tropas na Ucrânia, os economistas estão começando a publicar previsões para o que hoje é a 11ª maior economia do mundo, embora alertem que as perspectivas estejam sujeitas à revisão.

Economistas do JPMorgan disseram a clientes em relatório divulgado nesta sexta-feira que esperam uma contração de 7% no Produto Interno Bruto (PIB) neste ano, a mesma previsão do Goldman Sachs.

Já a Bloomberg Economics prevê uma queda de cerca de 9%. Em 1998, em meio à crise da dívida, a economia da Rússia encolheu 5,3%.

A economia russa está cambaleando depois que Estados Unidos e nações europeias aplicaram sanções ao comércio, finanças e viagens, congelaram as reservas de seu banco central e cortaram muitos de seus bancos do sistema global de mensagens Swift.

A Rússia procurou isolar sua economia e seus mercados com controles de capital, duplicação das taxas de juros e outras medidas de emergência, que prejudicarão o crescimento do país.

“As sanções minam os dois pilares que promovem a estabilidade – as reservas em moeda estrangeira e o superávit em conta corrente da Rússia”, disseram economistas do JPMorgan, liderados por Bruce Kasman, em seu relatório.

“As sanções atingirão sua marca na economia russa, que agora parece destinada a uma profunda recessão.”

— O longo prazo é que é mais preocupante — disse Tim Graf, chefe de macroestratégia EMEA da State Street Global Markets.

Fonte: O Globo

Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu