Confúcio afirma que educação é usada para impedir desenvolvimento social e econômico no País

  

PORTO VELHO, RO - O senador Confúcio Moura (MDB-RO) iniciou o seu discurso no Plenário da Casa nesta terça-feira (29), durante 26ª Sessão Deliberativa Ordinária, criticando a rotatividade da troca de ministros da Educação pelo governo e em seguida pediu o envolvimento efetivo aos prefeitos e governadores, afirmando com convicção que “a educação é a mola propulsora, o vetor do desenvolvimento econômico e social no presente e no futuro e que não outro caminho”.

O senador disse que as suas palavras seriam direcionadas aos 5.570 prefeitos e aos governadores, mas sabendo que é muito difícil convencê-los sobre o propósito que ele impôs a si ao seu mandato: a educação como estratégia central para o desenvolvimento e a inclusão. O parlamentar disse que muitos não veem a educação com a importância que ela tem. “Alguém, certa época, me falou que a educação não vai para a frente na agenda política, porque tudo, na política brasileira, precisa de uma placa de inauguração, precisa de um evento que crie um fato político eleitoral, “Inaugurado ‘pelo prefeito’, ‘Inaugurado pelo governador’, ‘Inaugurado pelo presidente’”, disse Confúcio Moura.

De acordo com o senador, o investimento em educação só permite placas na inauguração das escolas, que ocorre uma única vez. “Nos alunos, nas crianças, naqueles que são a razão de ser da política, não é possível colocar placas. Por isso é que muita gente não dá o devido valor, porque não pode colocar uma placa no peito do menino e falar assim: ‘você hoje é um advogado, um médico, um engenheiro, um professor, porque eu, prefeito fulano de tal melhorou, te alfabetizou no tempo certo, e você está aqui hoje, graduado e trabalhando’”, criticou parlamentar.

Confúcio Moura pediu atenção para a necessidade de alfabetizar as crianças no tempo certo, até os oito anos de idade, porque se a criança ou o jovem não for alfabetizado na idade certa, ele nunca mais será alfabetizado. “Com imensa dificuldade, ele pode, sim, chegar ao 5º ano, ao 8º ano, ao 9º ano, terminar o segundo grau ou até um curso superior, mas será um analfabeto funcional. Então, a alfabetização na idade certa é o pressuposto do sucesso educacional no futuro. Para isso, não basta apenas matriculá-lo na idade certa, é preciso cuidar para que ele não saia, que cumpra o rito de passagem. Logo, senhores, o ambiente educacional tem que ser convidativo, acolhedor e agradável e não o que temos hoje”, grifou o parlamentar.

Ao finalizar, Confúcio Moura afirmou que o caminho é o contágio, é esparramar de uma onda, de uma energia boa pelo Brasil; falar mais, mesmo que seja falar ao vento, no princípio. “É indispensável que se fale. Se nós todos falássemos, se nós agíssemos, se nós todos contribuíssem com a educação, nós poderemos realmente dar uma volta por cima nos próximos 20 anos, e salvar essa geração, salvar essas crianças, salvar esses adolescentes de todos os perigos que a rua lhes impõe: a violência, as drogas e outros crimes que atormentam as famílias, as autoridades – e comprometem nosso futuro como nação grande e desenvolvida”, concluiu o senador.

Fonte: Assessoria

Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu