Ex-presidiário foi morto porque estava aprontando no boteco, diz acusado

Postagens Recentes

3/recent/post-list

Mundo

3/Mundo/post-list

Geral

3/GERAL/post-list

Ad Code



Ex-presidiário foi morto porque estava aprontando no boteco, diz acusado

Estava bêbado e consumido muita droga, por isso não senti o corte”, disse o acusado

Porto Velho, RO - 
O Juízo da 1ª. Vara do Júri pronunciou e determinou o julgamento de Mateus Maicon Souza Camacho pelo assassinato do ex-presidiário Elielson Melo da Costa, ocorrido na manhã do dia 1º de janeiro de 2022, na zona leste da cidade. O acusado havia tido uma discussão com a vítima minutos antes em um bar localizado no bairro Mariana.

Segundo a Polícia Civil, o acusado contou em seu interrogatório que, no dia do crime, estava no bar quando a vítima lhe ameaçou de morte, e o agrediu com palavras grosseiras. Houve uma pequena discussão e uma reação da vítima que acabou lhe acertando um pequeno corte de faca nas costas do acusado que só percebeu o ferimento minutos após a confusão.

“Estava bêbado e consumido muita droga, por isso não senti o corte”, disse o acusado. Logo após perceber o ferimento, ele saiu do bar, foi até a casa da sua mãe, pegou a arma do crime, voltou ao local e disparou contra Elielson, alegando que “não sabe dizer o porquê que atirou contra a vítima”. O bar estava com vários frequentadores.

O inquérito da Polícia Civil também incluiu outro acusado: Gilmar Santos Ladislau, que, minutos antes do crime, atropelou a vítima, próximo ao bar, simplesmente pelo fato de Elielson está no bar ameaçando frequentadores com uma faca. O acusado negou que tenha atropelado propositadamente a vítima e se livrou da acusação de tentativa de homicídio.

Fonte: Redação

Postar um comentário

0 Comentários