O dia 17 de dezembro na história de Porto Velho, Rondônia, Brasil e Mundo

Postagens Recentes

3/recent/post-list

Mundo

3/Mundo/post-list

Geral

3/GERAL/post-list

Ad Code



O dia 17 de dezembro na história de Porto Velho, Rondônia, Brasil e Mundo

Em 1977, numa canoa, fazíamos matéria sobre a cheia do Rio Madeira, alagando todo baixo Triângulo


O DIA NA HISTÓRIA

Jornalista Lúcio Albuquerque - WhatsApp 69 99910 8325

BOM DIA, sábado, 17 de DEZEMBRO  

COMEMORA-SE

Dia do Engenheiro de Produção, Dia Nacional do Bioma Pampa, Dia do Pastor Presbiteriano

Católicos celebram São Lázaro de Betânia, São José Manyanet y Vives, Santa Olímpia, São João da Mata, São Misael, São Ananias, São Azarias, São Daniel Profeta, Beato Jacinto Cormier.

RONDÔNIA

17 – 1970 – A escola Estadual “Dom Bosco” (Ji-Paraná) tem nova denominação: Escola “Marechal Rondon” e, mais tarde, Instituto Estadual de Educação “Marechal Rondon”.

17 – 1985 – Médicos do Hospital de Base fazem treinamento para tratar pacientes portadores de Aids.

17 – 1990 – Notícias ruins para o comércio: além do atraso do pagamento do funcionalismo, a crise econômica do país faz prever vendas baixas no período.

BRASIL

1792 — Criada a Real Academia de Artilharia, Fortificação e Desenho, 1ª escola de engenharia das Américas, originando a Escola Politécnica da UFRJ (Poli) e o Instituto Militar de Engenharia (IME). 1905 — Nasce Érico Veríssimo, autor de “Olhai os Lírios do Campo” (m. 1975). Em 1969 — Morre Artur da Costa e Silva, 27º presidente do Brasil (n.1902). 1989 – Fernando Collor é o 1º presidente eleito desde 1960. Em 2006 — O Inter (RS) derrota o Barcelona por 1 a 0, no Japão e conquista o Mundial de Clubes da FIFA.

MUNDO

1989 — Estreia de Os Simpsons na FOX. 

FOTO DO DIA

Em 1977, numa canoa, fazíamos matéria sobre a cheia do Rio Madeira, alagando todo baixo Triângulo até a AV. Rogério Weber, quando surgiu de uma touceira outra canoa com dois passageiros, o piloto e uma senhora bem conhecida da sociedade, dona Gilsa Guedes, esposa do governador Humberto Guedes, que visitava as famílias com o projeto de leva-las para uma área que ela denominou – “Meu Pedacinho de Chão”.

Sob acusações do MDB, do deputado federal Jerônimo Santana e de um braço da Arena ao governo de seu marido, ela foi em frente com o projeto, mas as críticas levaram muitas famílias a não aceitar, ficando nas casas alagadas, como as dessa foto de 1980, o que se repete em toda alagação.

Na nossa canoa eu, o jornalista, professor e historiador Amizael Silva e o Edinho (Edson Luiz). Foto Carlos Alberto da Costa/Rondônia Minha Querida Rondônia.

Postar um comentário

0 Comentários