SGG diz a vereador Fogaça que não há disponibilidade orçamentária para construção e reformas de escolas da zona leste em 2023


A situação de centenas de famílias dos condomínios do Minha Casa, Minha Vida é caótica. A falta de escolas está gerando um problema social relevante

Porto Velho, RO - A Secretaria Municipal de Educação de Porto Velho (Semed) informou esta semana ao vereador Everaldo Fogaça (Republicanos) que não há orçamentário disponível para as obras de construção de escolas nos residenciais do Projeto Minha Casa, Minha Vida, na zona leste da cidade e reforma de outros estabelecimentos de ensino.

A previsão de recursos para as obras foi solicitada pelo vereador através do Pedido de Providência nº 5485/CMPV-GAB-VEF/2022 e endereçada primeiramente à Semed.

De lá, o pedido foi levado ao conhecimento da Subsecretaria de Política Intersetorial da Secretaria Geral de Governo (SGG), onde a Lei Orçamentária é elaborada.

Segundo o vereador, as obras de construção iriam beneficiar crianças em idade escolar, residentes nos condomínios Orgulho do Madeira, Cristal da Calama, e Morar Melhor; Já as reformas seriam para melhorar a estrutura das escolas Olavo Pires, Manoel Grangeiro, Erialdo Gomes, Wadih Darwich Zacharias, Padre Chiquinho e Marechal Rondon.

“A situação de centenas de famílias dos condomínios do Minha Casa, Minha Vida é caótica. A falta de escolas está gerando um problema social relevante, pois muitos pais deixam de trabalhar porque não deixam de estudar e muitas crianças estão fora da sala de aula por falta de condições de deslocarem até lá. É preciso reavaliar essas prioridades”, disse.

O vereador disse que vai levar esse assunto ao conhecimento do plenário da Câmara Municipal durante as discussões do Orçamento 2023. Para ele é preciso incluir todos os vereadores e a Prefeitura nesse diálogo sobre investimento na educação. “Não podemos fechar os olhos para essa realidade”, finalizou.



Fonte: Assessoria


Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu