Em Israel, comitiva de Rondônia visita instituições voltadas a tecnologias de infraestrutura e de agricultura


Porto Velho, RO - Com presença confirmada em Israel, para troca de informações com entidades envolvidas em tecnologia do país do Médio Oriente, o governador de Rondônia, Marcos Rocha concluiu duas agendas em Tel Aviv, nesta quinta-feira (10), com objetivo de melhorar a infraestrutura do Estado para firmar parceria e transferência de tecnologia com o Waze for Cities (Waze para cidades), e com o Laboratório de Cacau do Instituto Volcani.

A startup israelense famosa mundialmente, Waze, foi a primeira a receber o governador e sua comitiva. A gigante da mobilidade urbana fundada em 2008 e que possui um programa específico para melhorias de mobilidade, denominado Waze for Cities – WFC (Waze para Cidades) foi apresentado como uma oportunidade para o portfólio da empresa com vistas a ajudar a evitar acidentes que ceifem vidas na região. “Nossa meta de salvar vidas continuará sempre, mesmo depois da pandemia de Covid”, pontuou Marcos Rocha.

Em resumo, o programa Waze for Cities permite que o Waze e agências governamentais do mundo todo compartilhem dados do Waze para ajudar o planejamento da cidade, tomar decisões melhores sobre a infraestrutura e aumentar a eficiência das operações diárias. Eles já estão presentes em mais de 1.000 cidades no mundo (2020), 190 na América Latina e 70 no Brasil, entre elas as cidades do Rio de Janeiro e de Joinville. Ainda não existe cidade de Rondônia e nenhuma com projeto na Amazônia Legal do Brasil com relação às estradas estaduais.

Com o encontro, foi aberta a possibilidade acelerar o processo de Rondônia torne-se um parceiro do WFC para Porto Velho e cidades de mais de 100 mil habitantes no Estado. “Queremos também estudar em conjunto, um modelo do programa não só  para cidades, mas para rodovias e pontes, no intuito de melhorar o cuidado com a  infraestrutura em tempo real”, propôs o governador.

Em seguida, a equipe do Estado foi conhecer o Instituto Volcani e em especial,  o laboratório de Cacau. A Organização de Pesquisa Agrícola Centro de Volcani, que é o maior centro de pesquisa agrícola israelense, atua como braço de pesquisa do Ministério da Agricultura e Desenvolvimento Rural do Estado de Israel. No encontro foi evocado o Memorando de Entendimento (MoU) assinado entre o Instituto Volcani e a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária). Ao sementar os caminho de um acordo entre as partes, o governador observou a oportunidade de importar tecnologias e técnicas originárias do MoU e, assim, reduzir custos para agricultores não só do Cacau, mas também para as mais diversas culturas agrícolas de Rondônia.

“Vamos observar junto a especialistas as tecnologias e o melhor aproveitamento do memorando, para garantir que nossos produtores tenham acesso e conhecimento das tecnologias de ponta do setor”, garantiu.

O Cacau se tornou a 2ª cultura com maior área destinada à colheita  e segundo o IBGE, com mais de 9,2 mil hectares. A produção cacaueira aumentou em Rondônia em torno de 2,3% entre 2017 e 2021 e foram colhidos mais de 5.571 toneladas em 2021. O município de Jaru se mantém como o maior produtor de cacau do Estado, tendo produzido 1.276 toneladas em 2021.

Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu