Câncer de laringe: saiba quais são os sintomas e fatores de risco



Câncer de laringe é um dos cânceres de cabeça e pescoço mais comuns. Ele afeta principalmente homens e maioria dos casos podem ser evitados

Porto Velho, RO - 
O câncer de laringe é uma doença que ocorre, na maioria das vezes, em homens. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), ele é o segundo mais comum na região da cabeça e pescoço, afetando cerca de 7.650 pessoas por ano no Brasil — a doença afeta 25 a cada 100 pacientes diagnosticados com tumor na região. Identificar a doença precocemente é a melhor forma de aumentar as chances de um tratamento de sucesso.

O cirurgião oncológico José Guilherme Vartanian, coordenador da Comissão de Cabeça e Pescoço da Sociedade Brasileira de Cirurgia Oncológica (SBCO), aponta os principais sintomas do câncer de laringe. São eles:


* Rouquidão ou alterações na voz;
* Dificuldade para engolir alimentos;
* Sensação de algo preso na garganta;
* Dor de garganta ou ouvido persistentes;
* Tosse constante;
* Problemas respiratórios;
* Perda de peso sem motivo.

O oncologista explica que os sinais podem variar de acordo com a localização e estágio da doença. “Os sintomas podem não ter relação com o câncer de laringe, mas é preciso estar atento e, ao observar alguma alteração suspeita, consultar um médico especialista para uma avaliação mais precisa”, diz Vartanian.


Grupo de risco e prevenção

Segundo o médico, o câncer de laringe é mais comum a partir dos 40 anos e entre os homens. Ele explica que, dos mais de sete mil casos esperados para 2022, a estimativa do Inca é de que 6.470 dos diagnósticos sejam masculinos.


Cerca de 30% dos casos de câncer de laringe poderiam ser evitados com a adoção de algumas medidas, como evitar o tabagismo, etilismo (consumo excessivo e constante de álcool) e obesidade.

“A prevenção consiste em não fumar nenhum produto e fugir do tabagismo passivo, evitar o consumo excessivo e constante de bebidas alcoólicas, manter o peso corporal adequado e cuidar da saúde da voz”, ressalta o oncologista.

Diagnóstico

Além do exame clínico, o médico pode solicitar a realização de uma laringoscopia, exame que pode ser feito no consultório. Nele, é feita a coleta de fragmentos da lesão (biópsia) para determinar se há câncer ou não.

Tratamento

De acordo com a localização e a extensão do tumor, o câncer de laringe pode ser tratado com cirurgia, radioterapia e quimioterapia associada à radioterapia.

Vartanian afirma que quanto mais precocemente for feito o diagnóstico, maior a possibilidade de evitar deformidades físicas e problemas psicossociais, já que o tratamento dos cânceres da laringe pode afetar respiração, fala e deglutição.

A laringectomia total (retirada compelta da laringe) causa a perda da voz fisiológica. Como a preservação da voz é importante para a qualidade de vida do paciente, algumas vezes a radioterapia pode ser realizada primeiro, deixando a cirurgia para quando o tratamento não for suficiente para controlar o tumor.

“Os resultados na preservação da laringe têm sido positivos. Da mesma forma, novas técnicas cirúrgicas foram desenvolvidas permitindo a preservação da função da laringe, mesmo em tumores moderadamente avançados”, diz o cirurgião oncológico.

Vale ressaltar que mesmo em pacientes submetidos à laringectomia total é possível a reabilitação da voz com o uso de próteses fonatórias tráqueo-esofageanas, com bons resultados funcionais e de qualidade de vida.

Fonte: Metrópoles

Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu