Câncer de mama também pode atingir homens; conheça os sintomas


Casos da doença entre a população masculina representam 1% do total, segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca)

Porto Velho, RO - Apesar de raro, o câncer de mama também pode acometer homens. Os casos representam 1% do total, segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca).

Os dados mais recentes de mortes pela doença entre a população masculina são de 2020, quando foram registrados 207 óbitos de homens por câncer de mama no Brasil.

A doença é causada pela multiplicação desordenada de células anormais, formando um tumor que pode invadir a região da parede torácica ou outros órgãos, a chamada metástase.

Segundo o Inca, há vários tipos de câncer de mama. Alguns se desenvolvem rapidamente, e outros, não. A maioria dos casos tem boa resposta ao tratamento, principalmente quando diagnosticado e tratado no início.

Sinais do câncer de mama masculino

Para o diagnóstico oportuno da doença, os homens devem ficar atentos a quaisquer sinais de alteração na região das mamas. Embora os homens não tenham mamas desenvolvidas, assim como as mulheres eles possuem tecido mamário, ainda que plano e pequeno, e podem desenvolver a doença.

Em homens, os principais sinais da doença são:

  • Retração de pele
  • Aparecimento de caroços ou nódulos
  • Secreção pelo mamilo
  • Aumento dos gânglios, também chamados de ínguas, nas axilas
  • Vermelhidão na área do peito e coceira


Diante de sintomas suspeitos, deve-se buscar atendimento médico para investigação. Além da avaliação em consultório, exames específicos permitem diagnosticar ou descartar o câncer.
Diferentes tipos de câncer de mama

Existem vários tipos de câncer de mama. De acordo com o Ministério da Saúde, entre os que afetam a população masculina, os principais são:

Carcinoma ductal in situ: em que as células cancerígenas se formam nos ductos da mama, mas não os invadem ou espalham para fora da mama.

Carcinoma ductal invasivo: atinge a parede do ducto e se desenvolve pelo tecido da glândula mamária. Pode se espalhar para outros órgãos e representam 80% dos tumores.

Carcinoma lobular invasivo: cresce no lóbulo da mama. É o tipo mais raro nos homens.

Doença de Paget: começa nos ductos mamários e provoca crostas no mamilo, escamas, coceira, inchaço, vermelhidão e sangramento.

Câncer de mama inflamatório: é bem raro em homens e consiste na inflamação da mama que provoca o seu inchaço, vermelhidão e queimação, ao contrário de formar um nódulo.
Fatores de risco e tratamento

As causas do câncer de mama não são totalmente esclarecidas. No entanto, alguns fatores de risco podem aumentar o risco de desenvolvimento da doença nessa população.

  • Alteração no gene BRCA2 e histórico familiar da doença
  • Condições que podem aumentar o nível de estrogênio no corpo, como obesidade, alcoolismo, síndrome de Klinefelter e doença hepática
  • Radioterapia prévia para a área do tórax

A detecção de um caso de câncer de mama em homens destaca a necessidade de avaliação das mulheres da família, devido à possibilidade de haver uma mutação genética de BRCA (família de genes), o que aumenta o risco de ter a doença.

De acordo com o Ministério da Saúde, por ser raro, o câncer de mama em homens é, normalmente, abordado de acordo com as condutas indicadas para mulheres.

O tratamento varia de acordo com a evolução da doença, as características biológicas do tumor e as condições de saúde do paciente. O prognóstico também depende da extensão e características do câncer.

As modalidades de tratamento do câncer de mama incluem cirurgia, radioterapia, quimioterapia e hormonioterapia.

Fonte: CNN Brasil


Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu