Bielorrusso e organizações da Rússia e Ucrânia recebem Nobel da Paz


Nomes foram anunciados hoje em Oslo, na Noruega

Porto Velho, RO - O ativista Ales Bialiatski - que está preso na Bielorrússia -, a organização Memorial - considerada um pilar da sociedade civil na Rússia, que foi perseguida pelos tribunais do país - e a Center for Civil Liberties, da Ucrânia, são os ganhadores do Prêmio Nobel da Paz de 2022.

Os nomes foram anunciados nesta sexta-feira (7) em Oslo, na Noruega, no momento em que a Europa testemunha nova guerra após a invasão da Ucrânia pela Rússia, iniciada há quase oito meses.

O Comité Nobel Norueguês justificou a atribuição dos prémios aos esforços dos três laureados na denúncia de crimes de guerra, de abuso do poder e de violações dos direitos humanos.

O prêmio tem forte carga simbólica, num período em que o mundo enfrenta ameaça de guerra nuclear.

De acordo com a Academia, os vencedores representam a sociedade civil em seus países de origem". Durante muitos anos, "promoveram o direito de criticar o poder e proteger os direitos fundamentais dos cidadãos, fizeram um esforço notável para documentar crimes de guerra, abusos dos direitos humanos e abuso de poder".

"Juntos, demonstram a importância da sociedade civil para a paz e a democracia", destaca.

Em 2021, o prêmio foi atribuído aos jornalistas Maria Ressa, das Filipinas, e Dmitry Muratov, da Rússia, pela defesa da liberdade de imprensa e de expressão.

No dia 10 de dezembro (data da morte de Alfred Nobel) em Oslo, na Noruega, será entregue o Nobel da Paz, que consiste em uma medalha e um diploma, juntamente com um documento que confirma o valor do prêmio - de 10 milhões de coroas suecas (cerca de 919 mil euros, no câmbio atual) neste ano, a ser dividido pelas várias categorias.

Fonte: Agência Brasil


Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu