Fake News e desinformação prejudicam avanço da vacinação infantil em Porto Velho


Eventuais efeitos colaterais não representam risco à saúde

Porto Velho, RO - Apenas 23,75% das crianças de 5 a 11 anos receberam a 1ª dose da vacina contra a covid-19 em Porto Velho até o momento. O percentual é baixo, se considerada as facilidades oferecidas e o número de pontos de atendimento existentes. O gargalo para a ampliação da campanha são as notícias falsas que atribuem aos imunizantes algum tipo de mal.

“Eventuais efeitos colaterais são comuns em qualquer vacina”, esclarece a gerente de imunização da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), Elizeth Gomes, ao avaliar o valor que as pessoas atribuem às fake news.

Segundo ela, a favor das vacinas conta o número de doenças já erradicadas e as que são evitadas através das campanhas realizadas todos os anos. “Com o coronavírus não é diferente. A ciência obteve conquistas muito rápidas e o combate a este vírus e a maior prova é a redução do número de internações, de casos graves e de obtidos”, acrescenta.

Uma criança sem ser vacinada representa um risco para ela e seus amigos na escola. “Os efeitos colaterais não representam risco para a saúde”, afirma a responsável pela vacinação no município.

Em Porto Velho, as vacinas estão disponíveis em unidades básicas, que montaram salas especiais, e no Porto Velho Shopping. Além disto, uma ação conjunta da Semusa e Secretaria Municipal de Educação (Semed) está levando os imunizantes também para as escolas da capital.

PROGRAMAÇÃO DE VACINAÇÃO CONTRA COVID-19 EM ESCOLAS

Quarta-feira (9)

Escola: São Francisco de Assis
Endereço: rua Escorpião, 11511, bairro Ulisses Guimarães
Horário: 9h às 15h

Quinta-feira (10)

Escola: Municipal de Educação Infantil e Ensino Fundamental Bilíngue
Endereço: rua Litorânea, 4898, bairro Flodoaldo Pontes Pinto
Horário: 9h às 16h

Texto: Semusa
Foto: Carlos Sabino
Superintendência Municipal de Comunicação (SMC)

Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu