Estudantes de medicina pedem apoio de deputados para antecipação de formatura

Demanda recebeu apoio dos parlamentares e o reconhecimento do secretário da Sesau

Porto Velho, RO -
Um grupo de estudantes de medicina se reuniu nesta quarta-feira (2), com o presidente da Assembleia Legislativa, Alex Redano (Republicanos), e as deputadas Rosângela Donadon (PDT), que intermediou o encontro, e Cassia Muleta. O secretário de Estado da Saúde (Sesau), Fernando Máximo, também participou do encontro.

Os alunos pediram apoio para que as universidades em Rondônia possam antecipar a colação de grau de seus formandos, em razão da necessidade de mais profissionais da saúde, com o agravamento da crise sanitária.

"É uma decisão das universidades, mas por entendermos a necessidade do momento na saúde, tem o nosso apoio. Esperamos que haja um entendimento, um consenso por parte das universidades e demais autoridades ligadas ao registro médico, para tornar possível essa antecipação e que os novos médicos possam ingressar no mercado de trabalho e salvar vidas", ponderou Redano.

A deputada Rosângela afirmou que os alunos não querem deixar de pagar a integralidade do curso, mas tão somente que seja antecipada a formatura para que possam atuar na linha de frente.

"Não haveria prejuízo financeiro às universidades ou faculdades, mas sim um adiantamento da formatura, desde que preenchido os requisitos determinados pelo Ministério da Educação (MEC)".

Fernando Máximo reforçou que os profissionais da saúde, de forma geral, estão exaustos com muito trabalho ao longo dos últimos dois anos, com seguidos plantões.

"Mais profissionais ingressando no mercado de trabalho iria ajudar nessa árdua missão. Sempre a Sesau está oferecendo vagas de médicos e precisamos desse profissional atuando na linha de frente".

Antecipação

Em 2020, a Medida Provisória 934 e a Portaria do Ministério da Educação (MEC) 374 permitiram essa antecipação, com essa iniciativa sendo feita em todo o país. Mas, essas normas não obrigam que universidades antecipem a colação de grau de seus formandos, mesmo em estado de calamidade pública.

Em 2021, essa antecipação não ocorreu em Rondônia e com o agravamento mais uma vez da pandemia do coronavírus, os estudantes entendem que poderia haver essa colação de grau antecipada. A antecipação é possível, desde que os formandos tenham concluído, ao menos, 75% da carga horária do internato do curso de medicina, o estágio obrigatório da área.

Texto: Eranildo Costa Luna
Foto: Diego Queiroz

Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu