DNIT anuncia a conclusão das obras do alteamento da BR-364


O tempo de viagem para muitos demorava cerca de 4 horas de atraso, num trajeto entre a sede de Porto Velho até a Ponte do Abunã.

Porto Velho, RO - O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) anunciou nas suas redes sociais, hoje (18), que tiveram fim as obras de alteamento da BR-364, em Rondônia. Os serviços executados na estrada que liga o Acre são essenciais tendo em vista que parte da BR ficou debaixo d’água num período das chuvas, em 2014.

Segundo o DNIT, “os serviços em 10,5 quilômetros da rodovia federal, localizados em seis segmentos entre o km 875 e km 890, começaram no início de maio, no início do período de estiagem. O objetivo do alteamento é evitar alagamentos do Rio Madeira, como o ocorrido em 2014 na histórica cheia, que interditou totalmente trechos da estrada e isolou o Estado do Acre”.



Os trabalhos foram realizados por meio de uma parceria do DNIT e da Usina Hidrelétrica (UHE) de Jirau. “A construção consiste em elevar o greide com disposição de camada drenante em rachão (50 cm), o que confere uma camada estrutural ao pavimento de 90 cm semelhante ao das grandes rodovias do país (...) Também, houve o alteamento da ponte da Velha Mutum Paraná com extensão de 220m e foi alteada em 2,10m”, explicou a autarquia.

ANOS DE QUEIXAS

Durante a obra, que teve início em 2018, o News Rondônia mostrou o drama de muitos caminhoneiros bem como de motoristas que precisaram trafegar pela região, com destaques para os perigos e os riscos que os mesmos corriam.

Uma das principais queixas era a demora no sistema Pare-Siga que foi implantado entre uma passagem e outra. A espera, em cada ponto, era de aproximadamente 60m. O tempo de viagem para muitos demorava cerca de 4 horas de atraso, num trajeto entre a sede de Porto Velho até a Ponte do Abunã.



Também, no período, ouvimos relatos de condutores que reclamaram das inevitáveis avarias nos veículos provocadas por materiais espalhados ao longo da obra associada com a alta velocidade que muitos motoristas infratores percorriam, sem o devido controle dos órgãos competentes.

Fonte: News Rondônia

Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu