'Crocodilo' de Wall Street é presa por lavagem de dinheiro bilionária de bitcoin

Casal enriqueceu com um cache da moeda digital roubada, que hoje vale cerca de US$ 4,5 bilhões

Porto Velho, RO -
Eles são um Bonnie e Clyde para a era das criptomoedas – personalidades feitas para o TikTok que quebraram, glamourosamente, bem diante dos olhos de seus seguidores.

Ela se autodenominava “O Crocodilo de Wall Street” e “Razzlekhan”, uma artista e rapper surrealista com mãos tatuadas e, ela se gabava, mais pitoresca do que Genghis Khan.

Ele assumiu uma persona mais domesticada: a de um “empreendedor de tecnologia” e “ mágico ocasional ”.

Às 7h da manhã de terça-feira, seu mundo de salões e videoclipes no estilo TED desmoronou quando foram presos por policiais federais na cidade de Nova York e acusados de um crime que teria parecido absurdo e outros tempos. O casal enriqueceu com um cache de Bitcoin roubado que hoje vale cerca de US$ 4,5 bilhões.

Apesar de cada transação ter registro público, a identidade dos envolvidos nunca são reveladas, só o número de identificação das carteiras. Isso mantém as transações privadas e permite a comercialização sem deixar rastros. Por isso, é a moeda de escolha para quem compra drogas ou outras atividades ilícitas na internet.

Heather Morgan, 31 anos, e seu marido Ilya Lichtenstein, 34 anos, foram detidos sob a acusação de conspirar para lavar 119.754 Bitcoins. A moeda digital, dizem as autoridades, veio do ataque hacker de 2016 da Bitfinex, uma plataforma de criptomoedas de propriedade e operada pela iFinex.

Em uma aparição inicial em um tribunal federal de Manhattan na noite de terça-feira, Morgan usava um moletom branco com capuz, com seus longos cabelos soltos.

Lichtenstein, que atende pelo apelido de “holandês”, apareceu vestindo jeans e uma camisa cinza. Nem usava algemas nem falava publicamente. Seus advogados – eles contrataram advogados separados – foram os que falaram. O julgamento deve ser realizado em Washington.

O juiz concedeu a fiança, estabelecendo uma fiança de US$ 3 milhões para Morgan e pedindo a seus pais que colocassem sua casa como garantia. Para Lichtenstein, o valor foi de US$ 5 milhões.

O governo inicialmente pediu ao juiz que não permitisse que eles fossem libertados sob fiança. Cada um está enfrentando a possibilidade de uma sentença de 20 anos de prisão, para que tenham motivação para concorrer, disse um promotor ao juiz.

Nada disso poderia ter acontecido há 20 anos. Ou 10. Ou talvez até cinco. O plano audacioso do casal, conforme estabelecido pelas autoridades federais, bem como o estilo de vida descarado que o plano supostamente oferecia, pareciam adaptados a esses tempos, e apenas a esses tempos de redes sociais e novas opções de investimento.

Só no mês de abril, a mineração de bitcoins faturou US$ 1,7 bilhão, ou US$ 56,7 milhões por dia, segundo o site da Bolsa eletrônica Nasdaq
Esquema de lavagem

O Departamento de Justiça que o Bitcoin roubado durante o ataque de 2016 foi enviado para uma carteira digital controlada por Lichtenstein e depois para uma que o casal controlava por meio de um complexo esquema de lavagem.

A criptomoeda valia US$ 71 milhões quando foi roubada em 2016. Agora, o estoque vale US$ 4,5 bilhões, pois os preços do Bitcoin dispararam, dos quais US$ 3,6 bilhões em tokens foram recuperados por agentes federais. O casal não foi acusado de fazer o hacking real.

Até terça-feira, Morgan e Lichtenstein viviam vidas feitas para as redes sociais. Até o pedido de casamento feito por Lichtenstein parecia ter como objetivo impulsionar a carreira de sua futura esposa como "Razzlekhan", um artista especializado em colagem, escultura, pintura e design de moda.

Em um post no Facebook , Lichtenstein disse que planejou a proposta de casamento em torno de “uma estranha e criativa campanha de marketing multicanal”.

A campanha apresentava pôsteres e anúncios digitais que “capturavam a essência de Razzlekhan: surreal, misterioso, assustador e sexy”. Ele propôs a Morgan enquanto imagens de seu rosto passavam por um outdoor digital.

Morgan, por sua vez, também lançou singles e videoclipes no YouTube. Em sua música de 2019, “Versace Bedouin” – um número que ela caracterizou como um “hino para desajustados e esquisitos” – ela desfila pelas ruas de paralelepípedos do distrito financeiro de Nova York e veste uma jaqueta dourada cintilante na frente de uma estátua de George Washington.
'Crocodilo' de Wall Street

Como a “Crocodilo de Wall Street”, ela também falou sobre estratégias de investimento, chamando a si mesma de uma ganhadora de dinheiro amante do risco que era “astuta como um jacaré”.

Ela também era uma TikToker ativa. Em um de seus vídeos, Morgan fez um rap de estilo livre sobre investir nas ações de memes frequentemente discutidas no subreddit “Wall Street Bets”.

Tarun Chitra e Ruthie Nachmany, cofundadores da série de palestrantes NYC Salon, lembraram na terça-feira de conhecer Morgan em julho de 2019. Morgan disse a eles que tinha acabado de voar de primeira classe do Japão e, durante o almoço em um bistrô de estilo francês no centro da cidade, apresentou ela mesma como uma potencial oradora.

A palestra de Morgan, realizada no Williamsburg Hotel, no moderno Brooklyn, foi intitulada “Como fazer engenharia social do seu jeito em qualquer coisa”. Ela definiu a engenharia social como “o ato de manipular alguém para divulgar informações ou tomar uma ação específica”.

Ela disse à multidão que enviou 10.000 e-mails frios na década anterior e ajudou 720 empresas a melhorar as campanhas de e-mail.

A conversa se concentrou principalmente em como invadir eventos, sugerindo que os pretensos invasores tragam dinheiro para gorjetas, usem uma camiseta preta para parecerem seguranças e também tragam roupas em camadas caso precisem mudar de visual rapidamente.

Sua apresentação terminou com outro slide: “Como você pode se projetar socialmente para sair de uma situação ruim?”

Fonte: O Globo

Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu