Hospital de Campanha passa a realizar cirurgias eletivas em Porto Velho


Mais de 90 pacientes realizaram cirurgias eletivas em uma semana no Hospital de Campanha de Rondônia


Porto Velho, RO -
Depois de passar um ano e quatro meses impossibilitado de realizar as cirurgias eletivas, devido a pandemia do coronavírus, o Governo de Rondônia lançou oficialmente na quinta-feira (19) o retorno dos serviços, onde os procedimentos cirúrgicos serão realizados no Hospital de Campanha de Rondônia (HCamp), em Porto Velho. A retomada dos serviços foi possível devido a queda no número de internações em relação à covid-19.

‘‘Em razão da pandemia do coronavírus, esse procedimento havia sido suspenso por questão de segurança, mas hoje oficialmente a gente reabre as ações. O Hospital de Campanha passa a ser a retaguarda do Hospital de Base Ary Pinheiro (HBAP), ajudando a dar agilidade nos atendimentos da nossa população. É muito bom ter passado aquele momento tão difícil da pandemia e agora poder voltar com as cirurgias eletivas’’, afirma o governador Marcos Rocha.

O retorno das cirurgias eletivas foi comemorado pelo Governo, equipe médica e pacientes. ‘‘Dessa forma a gente desafoga os centros cirúrgicos e as enfermarias do Hospital de Base, e assim também ajuda no fluxo de atendimento do Hospital e Pronto Socorro João Paulo II que encaminha pacientes para o HBAP, no caso de procedimentos mais complexos’’, reforça o gestor da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), Fernando Máximo.


Ozélio Oliveira recebeu com esperança e alegria a notícia que passará por cirurgia

Só nesta semana, 95 pacientes passaram por procedimentos cirúrgicos no HCamp, que contempla cirurgias de: colecistectomia (remoção da vesícula biliar), hérnias inguinal, epigástrica, umbilical, incisional, histerectomia (remoção de útero), colpoperineoplastia, miomectomia (remoção de mioma), polipectomia (remoção de pólipos do intestino), além de pequenos procedimentos diários e retirada de tumores e lipomas.

Para o autônomo Ozélio Oliveira, 40 anos, do município de Ministro Andreazza, o retorno das cirurgias eletivas foi um alívio. Ele vai ser submetido a uma cirurgia. ”Foi uma alegria saber que agora vou fazer a cirurgia; estava preocupado, pois a tendência era só piorar, não consigo fazer muito esforço”.

DECISÃO ASSERTIVA

O Hospital de Campanha foi adquirido pelo Governo de Rondônia, para salvar a vida dos rondonienses durante o pico da pandemia do coronavírus.

A unidade de saúde, agora vazia de pacientes com covid-19, está pronta para o atendimento pós-pandemia. Uma comprovação de que a aquisição da estrutura permanente para atendimento dos casos da covid-19, ao invés de uma hospital provisório de lona como foi a aposta de muitos estados, foi uma decisão assertiva do Poder Executivo.

No HCamp mais de duas mil pessoas foram recuperadas da doença e a estrutura ampla e moderna com 100 leitos, sendo 10 clínicos e 90 de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), começa, então, a ter esta nova missão: as cirurgias eletivas.


Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu