Fiocruz e AstraZeneca firmam compromisso para compra de IFA para produzir 60 milhões de vacinas Covid-19 em 2022


Termo de intenção de compra foi assinado na sede da AstraZeneca, em Cambridge, no Reino Unido, com a presença do ministro Marcelo Queiroga

Para garantir, ao Ministério da Saúde, ampla disponibilidade de vacinas durante a Campanha de Vacinação contra a Covid-19 em 2022, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) deu um passo importante nesta quinta-feira (27).

Em Cambridge, no Reino Unido, na sede da AstraZeneca, a Fiocruz assinou com a farmacêutica britânica um termo de compromisso para a compra de Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) suficiente para a produção de 60 milhões de vacinas Covid-19.

O investimento passará dos U$ 300 milhões, o que corresponde a, aproximadamente, R$ 1,6 bilhão. Durante a assinatura do compromisso, estavam presentes o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, a presidente da Fiocruz, Nísia Trindade, o CEO Global da AstraZeneca, Pascal Soriot, e o presidente da AstraZeneca no Brasil, Carlos Sánchez-Luís.

“É fundamental o desenvolvimento do complexo econômico industrial da saúde. Nós temos, na Fundação Oswaldo Cruz, por sua tradição centenária, um bom exemplo do que podemos seguir adiante. A encomenda tecnológica realizada pelo Ministério da Saúde e executada pela Astrazeneca e Fiocruz, fez com que o Brasil tivesse vacinas muito eficazes, seguras, efetivas e custo efetivas.

A vacina da Fiocruz foi o principal imunizante utilizado no ano de 2021 e, agora, em 2022, nós vamos repetir a aposta. São 120 milhões de doses garantidas e com a perspectiva de mais 60, se for necessário”, afirmou o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga.

Com a aquisição do IFA importado, a Fiocruz deve entregar ao Programa Nacional de Imunizações (PNI) 120 milhões de doses de vacina logo no primeiro semestre de 2022. Isso porque a Fundação vai produzir outras 60 milhões de doses de vacina Covid-19 com IFA produzido em solo brasileiro.

Na última semana, dois lotes do IFA de Bio-Manguinhos foram aprovados em testes internos e seguiram para controle de qualidade realizado em laboratórios dos Estados Unidos.

“Na Fiocruz, nós temos essa tradição de pensar a inovação, a produção tecnológica, sempre a partir da nossa missão junto ao Sistema Único de Saúde, garantindo inovação no menor tempo possível”, ressaltou a presidente da Fiocruz, Nísia Trindade.

As novas doses adquiridas pelo Governo Federal darão ao Ministério da Saúde a capacidade de continuar com a Campanha de Vacinação contra a Covid-19 com as doses necessárias em todos os cenários prováveis.

Em 2022, mais de 354 milhões de vacinas serão disponibilizadas ao povo brasileiro, sendo 120 milhões da AstraZeneca e 100 milhões da Pfizer. Outras 134 milhões de doses serão utilizadas a partir de saldo dos contratos firmados em 2021.

Entre os cenários considerados no planejamento do Ministério da Saúde, a Pasta prevê aplicar mais duas doses na população acima de 60 anos, com intervalo de seis meses. Além disso, considera-se administrar mais uma dose de reforço na população até 59 anos; e a possibilidade de ampliar o público-alvo da campanha.

Para que isso seja possível, a lógica da vacinação em 2022 deixará de seguir o critério de grupos prioritários para considerar a imunização por faixa etária decrescente.

Ministério da Saúde


Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu