Programa de Saúde da Mulher atua na prevenção e promoção do bem-estar em Porto Velho


No mês do Outubro Rosa, a Prefeitura de Porto Velho intensifica os atendimentos ofertados pelo Programa de Saúde da Mulher. O município também realizará ações itinerantes até o final do mês.

Na prática, a política de atenção integral à saúde da mulher atua na prevenção de agravos e promoção à saúde. Os serviços são oferecidos nas Unidades Básicas de Saúde da capital e distritos.

Entre os serviços ofertados estão o de prevenção do câncer de colo do útero, exame clínico para a detecção do câncer de mama, detecção e tratamento de Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST’s), planejamento reprodutivo, pré-natal e acolhimento de mulheres vítimas de violência.

O acesso ocorre por meio da estratégia de saúde da família com agendamentos prévios ou demanda espontânea.

“Pela estratégia, a moradora já está vinculada a uma equipe específica daquela unidade de saúde, mas a moradora que esteja fora dessa área de cobertura pode procurar, inicialmente, uma UBS mais próxima que será atendida”, explica a coordenadora do programa, Ana Emanuela Carvalho Chagas.

Após a avaliação, muitas mulheres podem necessitar de um atendimento especializado, que é ofertado pelos serviços gerenciados pelo departamento de média e alta complexidade. Entre os serviços estão o de ginecologia, ultrassonografia, obstetrícia, mamografia e métodos de controle reprodutivo de longa duração, como a inserção de DIU, laqueadura e vasectomia.

Já os casos de violência sexual são atendidos na Maternidade Municipal Mãe Esperança, referência nesse tipo de acolhimento e aplicação de profilaxias para combater eventuais contaminações resultantes do crime.

Segundo a Coordenação do Núcleo de Saúde da Mulher, da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), os serviços mais procurados pelas moradoras são o pré-natal, planejamento reprodutivo e preventivo para o câncer de colo de útero.

AÇÕES ITINERANTES

No mês de combate e conscientização à prevenção do câncer de mama, a Prefeitura segue intensificando as ações. A estratégia é priorizar as faixas etárias com maior risco e ampliar a adesão por parte das moradoras.

“O exame de rotina de mamografia, por exemplo, precisa ser intensificado por mulheres que estão na faixa dos 50 aos 69 anos. Já o preventivo é priorizado às mulheres com idades entre 25 e 64 anos”, explica a coordenadora.

Até o fim de 2021, o Município também realizará ações itinerantes para a educação e orientação em saúde em pontos estratégicos da capital.


Texto: Pedro Bentes
Foto: Saul Ribeiro
Superintendência Municipal de Comunicação (SMC)

Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu