Júri condena homem que matou a própria mãe



O Tribunal do Júri da Comarca de Vilhena condenou, na sexta-feira, 1º, [E. A. E.] por matar a própria mãe, [M. C. A.], a facadas. Segundo a denúncia, o crime aconteceu no dia 26 de julho de 2019, em Vilhena, em razão de desentendimento familiar, pois [E. A.] não concordou que a mãe o acompanhasse a uma consulta médica. A vítima foi atacada no momento em que chegou em casa para buscar o filho, o que incidiu na figura do feminicídio, pois matou sua genitora em razão de questões doméstica e familiar.

O Júri foi presidido pela juíza Liliane Pegoraro Bilharva, que, após a decisão do Conselho de Sentença em condenar [E. A.] por homicídio triplamente qualificado, dosou a pena em 20 anos de reclusão, a ser cumprida em regime inicial fechado. Na sentença de pronúncia, consta que o réu possui a personalidade voltada para o crime, bem como é dado a resolver seus problemas de forma violenta. A defesa tentou argumentar que [E. A.] sofre de problemas mentais e que estaria sendo mantido preso pela genitora, o que não ficou comprovado.

Na sentença, a magistrada evidenciou a gravidade do crime de violência doméstica, que traz consequências não só para a vítima, mas para toda a sociedade. “O Judiciário não pode fechar os olhos para tais situações, cada vez mais há mulheres vítimas de violência doméstica, que são agredidas e mortas pelas pessoas que deveriam zelar por elas. Vê-se que o acusado não teve nenhuma consideração pela pessoa que lhe deu a vida, que lhe trouxe para este mundo e que, mesmo já sendo este maior de idade, ainda cuidava dele, pois havia ido até sua residência para lhe levar para o médico”, pontuou.


Foto: Pixabay/VBlock

Fonte: Por TJ/RO

Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu