Estradas vicinais na região da BR-319 recebem serviços de manutenção


A Prefeitura de Porto Velho segue, desde julho, o cronograma de execução dos serviços de manutenção das estradas vicinais para o segundo semestre deste ano. Ao todo, na região no entorno do distrito-sede, deverão ser atendidas mais de 830 quilômetros de vias.

O trabalho ocorre sob a coordenação da Secretaria Municipal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Semagric) em atendimento às determinações do prefeito Hildon Chaves. "Estamos seguindo o cronograma de serviços para possibilitar mais comodidade a quem trafega por essas linhas, tão importante para o deslocamento das comunidades e escoamento da produção agrícola", destacou Vinícius Miguel, secretário da Semagric.

De acordo com o diretor do Departamento de Estradas Vicinais, Júlio Villar, as equipes vão atuar nas limpezas laterais de pistas, encascalhamento, construção de valetas laterais, patrolamento, serviços de bota-fora e dentro, construção de saídas d'água laterais, transporte de cargas e descargas de cascalho (materiais de primeira categoria), compactação, recuperação de pontes e instalação de bueiros.

Pela programação, algumas regiões já tiveram os trabalhos concluídos na região da BR-319 - KM 01 a KM-46, sentido Humaitá, como, por exemplo, na Linha Transpurus, Linhas 7 e 17, C-01 e C-01/B. Jardim. Essas regiões somam 107 quilômetros de vias.

Ainda serão atendidas outras localidades. Entre elas, Ramal da Maria Gordo, Ramais São Sebastião, Terra Nova, São Sebastião/Rio, Engenho Velho, Maravilha, Maravilha II, Niterói, Terra Prometida, Santo Expedito I e II, Rosário, Rondoacre e as Linhas 3, , 13, 15, Linha C-10, Linha C-25 e Linha C-30. Juntos, somam 135 quilômetros de vias.

Já na região da BR-319 – KM 50 até o KM 144 sentido Humaitá serão realizados os serviços de melhoria da malha viária em 102 quilômetros. As estradas atendidas estão localizadas nos Ramais Receba, do Índio, Pitu, do Guerreiro, 4 Olho, São Bernardo e nas Linhas 3, 13, 15 e 17 atendendo cinco comunidades nesta região.

“A partir de maio a gente começa a fazer um trabalho mais dedicado na recuperação das estradas com cascalhamento e aterros, por exemplo. O trabalho dá para seguir assim até setembro, e de outubro a novembro é mais recuado, com mais trabalhos emergenciais”, explicou Júlio Villar sobre a programação em virtude da estação na região amazônica.

MAIS DEMANDAS

Ainda está previsto, aproximadamente, 490 quilômetros de recuperação na região do entorno de Porto Velho e Linha 28, além do eixo da BR-364, do KM-01 ao KM-46, sentido Jaci-Paraná.


Texto: Etiene Gonçalves
Foto: Leandro Morais e Semagric
Superintendência Municipal de Comunicação (SMC)

Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu