Governo de Rondônia e parceiros destacam “II Festival de Tambaqui da Amazônia” ao setor empresarial

 


Porto Velho, RO - O Governo de Rondônia destacou todos os parceiros para a realização do 2º Festival de Tambaqui da Amazônia durante um jantar com a presença de empresários, ocorrido no sábado (18), visando reforçar a divulgação do evento. O vice-governador, José Jodan, ressaltou que neste domingo (19), em modelo drive-thru, o público poderá fazer a retirada de mais de 35 mil bandas do tambaqui distribuídas em todas as capitais brasileiras, Distrito Federal e municípios rondonienses.

O festival de forma inédita levará o tambaqui para a mesa dos brasileiros.”Esse festival é um orgulho para Rondônia. O governador Marcos Rocha junto com toda equipe de Governo fez economia, tem feito investimentos nunca antes realizados e tem fortalecido o setor produtivo, a exemplo da nossa pscicultura”, disse o vice-governador.

José Jodan lembrou que Rondônia é o terceiro estado do Brasil com maior produção de peixes e líder na produção de peixes nativos em cativeiro, modalidade que garante mais segurança sanitária, sendo que o tambaqui é o carro-chefe dessa produção, representa 90 por cento dela. Para ele, o festival será um avanço da produção rondoniense.

O secretário de Estado da Agricultura (Seagri), Evandro Padovani, pontuou que no primeiro festival Rondônia recebeu um aumento de 300% na demanda pelo tambaqui e que a expectativa é que o incremento seja maior com a segunda edição.

“É algo inédito que estamos fazendo no Brasil: a promoção de uma cadeia produtiva.Hoje nós temos mais de 4,3 mil produtores. Os nossos peixes são rastreados e certificados. Rondônia está preparado para atender a demanda do Brasil e buscamos também o mercado internacional”, afirma Padovani.

“Fico Feliz em fazer parte deste momento. Agradeço cada colaborador da Emater pela organização do festival nos municípios rondonienses, contribuindo assim para que esse evento seja um grande sucesso, pois vem para fortalecer uma cadeia importantíssima para Estado. Quando começou a desenvolver a cadeia da piscicultura em Rondônia, a Emater teve um papel muito importante, levando assistência técnica, ensinando como produzir, e hoje Rondônia é um potencial”, assegura o diretor presidente da Entidade Autárquica de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), Luciano Brandão.

Para o superintendente do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas em Rondônia (Sebrae/RO), Daniel Pereira, esse é um momento ímpar para Rondônia.”Nosso tambaqui é extremamente saboroso, mas temos um problema: os brasileiros não sabem disso, e é por isso que esse festival é tão importante. É uma ação ousada. A nossa expectativa é aumentar a procura pelo Tambaqui”, avalia.

O superintendente de Desenvolvimento Econômico e Infraestrutura (Sedi), Sérgio Gonçalves, pontuou as expectativas de expandir o mercado consumidor do tambaqui de Rondônia.”O nosso sonho é que o tambaqui esteja em todos os mercados brasileiros”. Sonho que para o presidente da Federação de Agricultura e Pecuária de Rondônia (Faperon), Hélio Dias, ganha força com o festival. “É muito importante um trabalho desse, onde todos se junta em prol um grande objetivo”.

O presidente da Associação dos Criadores de Peixes de Rondônia (Acripar), Francisco Hidalgo Farina, conta que o trabalho para fortalecer a produção de peixe rondoniense está sendo construído desde 2017, inicialmente restrito ao município de Ariquemes.”Buscamos aumentar o mercado consumidor desse peixe, e investidores para cadeia de processamento”.

O presidente da Afrochamber, Câmara de Comércio Afro-Brasileira, Rui Mucaje, está atento ao tambaqui rondoniense para garantir segurança alimentar para a África.

“A conexão Rondônia – África já é uma realidade, principalmente pelo interesse em produtos agrícolas e alguns commodies. E nós sabemos que o peixe é um produto que pode ser colocado na pauta de exportação”, disse Rui Mucaje.

O vice-governador pontuou ainda que o festival também tem seu eixo de amparo social, pois o dinheiro arrecadado com a venda dos peixes será destinado a entidades filantrópicas, a exemplos de hospitais. E lembrou que 121 toneladas de tambaqui chegaram ao mercado internacional de janeiro a junho deste ano.” É só o começo, vamos avançar muito mais na piscicultura rondoniense’.


Texto: Vanessa Moura
Fotos: Ėsio Mendes
Secom - Governo de Rondônia

Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu