Exposição em homenagem às mulheres negras pioneiras de Porto Velho segue até domingo (5)


Termina no próximo domingo (5), no Mercado Cultural, a exposição fotográfica “Afro-Antilhanas do Madeira: Pioneiras na Arte de Educar”. Realizada pela Prefeitura de Porto Velho, em parceria com a Universidade Federal de Rondônia (Unir), a exposição teve início em 25 de julho, data em que se comemora o Dia Internacional da Mulher Negra, Latino-Americana e Caribenha.

A economista Marcela Bonfim, curadora do evento e especialista em retratar histórias de mulheres negras pelo Brasil, disse que o objetivo da exposição é tornar público o sentimento de coragem e ousadia das mulheres que vieram de longe e contribuíram para construir Porto Velho e o Estado de Rondônia, especialmente nas áreas de educação e saúde.

Ela disse, ainda, que todas as heroínas da época da construção da lendária ferrovia Madeira-Mamoré foram representadas e homenageadas por uma coletânea de 17 fotografias de pioneiras que fazem parte desta primeira exposição. “Sabemos que existem muitas outras mulheres, mas na nossa pesquisa conseguimos mapear essas 17 personagens tão significativas para a nossa identidade”, declarou Marcela Bonfim.

OBJETIVO ALCANÇADO

Na avaliação da curadora, a exposição atingiu seu objetivo, pois muitas pessoas prestigiaram o evento, se interessaram e se identificaram com o tema. Além disso, o público reconheceu a sua importância e a necessidade de tornar conhecidos outros personagens da história da cidade e do Estado.

“É muito bom trabalhar junto com a comunidade, com familiares dessas mulheres que nos ajudaram nas pesquisas. Como é bom perceber toda essa força antilhana que ainda hoje contribui tanto para conhecermos a nós mesmos. Isso nos traz uma alegria imensa”, completou.

Quem ainda não conferiu a exposição fotográfica “Afro-Antilhanas do Madeira: Pioneiras na Arte de Educar” tem até o próximo domingo à noite para prestigiar o evento. O Mercado Cultural fica na Travessa Manelão, em frente ao Palácio Presidente Vargas, no centro histórico de Porto Velho.

AGRADECIMENTOS

Marcela Bonfim agradeceu a todos os parceiros e enalteceu a equipe do prefeito Hildon Chaves pelo apoio ao projeto, através da Fundação Cultural e outras secretarias. Destacou, ainda, o fato de o gestor ter sancionado a Lei nº 2.833/2021 que institui o Dia Municipal da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha. A lei foi sancionada na abertura da exposição fotográfica como parte das comemorações.

PRÊMIO

Por seu trabalho em retratar personagens negros, especialmente mulheres, Marcela Bonfim foi indicada para concorrer ao Prêmio Pipa On-line 2021, a janela para a arte contemporânea brasileira. “Fico feliz porque isso representa o reconhecimento pelo nosso trabalho que realizamos por meio do projeto Amazônia Negra”, comentou Marcela Bonfim.

Para conhecer mais sobre o Prêmio Pipa e votar em Marcela Bonfim, basta acessar o link aqui e seguir o passo a passo para registrar o voto.


Texto: Augusto Soares
Fotos: Leandro Moraes
Superintendência Municipal de Comunicação (SMC)

Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu