Enquete nas redes sociais aponta liderança de Marcos Rocha e Marcos Rogério para o Governo de Rondônia


Sondagens informais começam a ferir tendências do eleitorado e comprovam poder de influência da máquina pública

Porto Velho, RO - Faltando cerca de um ano para o período das convenções partidárias que vão definir os candidatos às eleições gerais do ano que vêm começam a se intensificar o número de pesquisas científicas e outras nem tanto para avaliar as preferências do eleitorado.

Entre as sondagens normais neste período estão as enquetes, que em tempos de comunicação instantânea tornam-se uma ferramenta muito utilizada, posto que qualquer pessoa pode lançar pesquisa a qualquer momento e obter bastante retorno.

Em Rondônia estão circulando nas redes sociais, principalmente em grupos de aplicativos de mensagens, enquetes levantando a preferência atual do eleitorado para a disputa da sucessão estadual, que não tem nenhum escopo metodológico ou científico, portando não refletem com tanta fidelidade o cenário como no caso das pesquisas profissionais, mas servem para dar uma noção do panorama.

Sem entrar no mérito de quem está à frente na enquete bem popular dos últimos dias, mesmo porque tem havido uma alternância constante entre os que estão liderando a sondagem, o governador Marcos Rocha e o senador Marcos Rogério, o que fica evidenciado é que aqueles que não é coincidência o fato dos que estão em maior evidência obtém tal posição em virtude de terem mais acesso à chamada “máquina Pública”.

No caso de Marcos Rocha, ele conta com toda a estrutura de governo, contanto a área de comunicação, para manter sua imagem permanentemente em exposição, enquanto o senador está todos os dias na mídia graças à sua participação na CPI da Covid. Queiram os outros ou não, estar neste tipo de vitrine faz com que seus nomes fiquem mais massificados junto à população, o que acaba refletindo significativamente em sondagens deste gênero.

E tal pese é reforçada pela posição dos que aparecem na rabeira da enquete: o ex-presidente da Assembleia Legislativa Maurão de Carvalho e o petista Ramon Cujuí, que há muito tempo estão fora dos holofotes. No miolo da sondagem ficam Hildon Chaves, Léo Moraes e Ivo Cassol, que contam com menos projeção, mesmo que no caso do prefeito de Porto Velho e do deputado federal também da capital, os seus cargos lhe garantam certa exposição, embora mais regionalizada.

O fato é que, tendo ou não suporte científico, a enquete serve pelo menos para atestar o velho ditado que ensina: “quem não é visto não é lembrado”.

ENQUETE ABAIXO, CLIQUE AQUI E CONFIRA


Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu