Adolescente diz que foi estuprada, sofre aborto e joga feto em terreno


A Polícia Civil instaurou um inquérito policial (IP) para investigar uma denúncia que uma adolescente teria sido estuprada e sofrido um aborto na cidade de Poconé (100 km de Cuiabá). Após o fato, a menor teria dispensado os restos mortais do bebê em um terreno baldio e fugido.

As investigações apontam que a adolescente tinha um relacionamento com um menor de 17 anos, conhecido na cidade por cometer atos infracionais.

Durante o relacionamento, a jovem teria engravidado do suposto infrator. Conforme prevê o Código Penal, ter relações sexuais com adolescente de até 14 anos, com consentimento ou não, resulta em crime de estupro de vulnerável.

A menor contou à Polícia Civil que no dia 22 de maio sentiu fortes dores na barriga e foi ao banheiro de sua casa. Ao sentar no vaso, a adolescente sentiu algo escorrer pelas suas pernas. Logo depois, ela viu que havia sofrido um aborto.

Na sequência, a menor jogou o feto pela janela do banheiro. Logo depois, ela chamou a irmã e contos os fatos.

Assustada, a testemunha foi ao lado externo da casa, pegou o feto e entregou à adolescente.

Com receio de ser descoberta, a menor pegou o feto, colocou em uma sacola plástico e jogou em um terreno baldio. Na sequência, fugiu.

Dias depois, a Polícia Civil foi informada dos fatos e ao ir ao terreno baldio encontrou apenas a sacola jogada pela menor.

Diante disso, um inquérito foi aberto pela Polícia Civil. De acordo com investigadores, existe a possibilidade de o aborto ter sido provocado.

Os envolvidos deverão prestar depoimento nos próximos dias.


Fonte: RepórterMT
Foto: Reprodução/RepórterMT

Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu