Restaurantes credenciados no Programa Prato Fácil receberam visita para verificação do funcionamento

 


Encerrando o ciclo de visitas para acompanhar o início do atendimento do Programa Prato Fácil nos cinco restaurantes credenciados em Porto Velho, o governador Marcos Rocha e a secretária de Estado da Assistência e do Desenvolvimento Social, primeira-dama Luana Rocha, estiveram nesta terça-feira (18) no Semprebom Restaurante e Café e no Restaurante Vista do Madeira, ambos na região Central da capital. Na segunda-feira (17), quando foi iniciado o atendimento, eles estiveram no Portal Eventos e Restaurantes e Churrascarias do Gaúcho e Norte Sul.

O governador e a secretária visitaram todos os estabelecimentos com o intuito de verificar como está ocorrendo o fornecimento das refeições às famílias em situação de vulnerabilidade social e também para fortalecer a parceria dos empresários com o governo, que viabilizou o credenciamento para a garantia de alimentação saudável e nutritiva, a R$ 2 por pessoa, ficando o complemento por parte do Estado, com recursos do Fundo Estadual de Erradicação da Pobreza (Fecoep).


Aposentado Manoel Mendes almoçou no Semprebom e elogiou a proposta do Prato Fácil

No Semprebom, localizado na avenida Campos Sales, 2645, após experimentar o cardápio do dia: moqueca de pirarucu com arroz, feijão, farofa, salada à base de alface, espinafre e cenoura salteada, o aposentado Manoel Mendes, 75 anos, afirmou que sempre comeu no Restaurante Popular da zona Leste e que seu fechamento fez muita falta, por isso fez questão de parabenizar a criação do Prato Fácil. Ele disse que no primeiro dia preferiu comer no local, mas que pretende nos outros dias levar para casa.

Parabéns a quem inventou, a quem está trabalhando, a quem está acompanhando o andamento e a mim, que estou almoçando uma comida boa, saudável e barata, afirmou.

Outra que optou por comer no local, foi Maria Helena Altino, do bairro Cidade Nova. “Este programa é muito bom para a comunidade, principalmente neste período de grana curta”, observou.

Entre os que optaram por levar a comida para casa, estavam a confeiteira Clemilda Barreto, moradora do Morar Melhor. “Ontem eu peguei no Portal Eventos, mas como hoje vim resolver umas coisas no centro, decidi levar logo daqui”, afirmou.

Já a doceira Jucélia da Silva, passava em frente ao restaurante quando viu a movimentação, e decidiu observar. Ao ser informada pela equipe da Seas sobre o Prato Fácil, ela resolveu entrar para pegar uma marmita. “Isto é benção para nós que não temos renda fixa e para as pessoas que trabalham ao redor. Muito bom mesmo”, ressaltou.

Documentos devem ser apresentados todo dia nos restaurantes credenciados

No Vista do Madeira, na Travessa Belizário Pena, 191, bairro Triângulo, Hosana Souza, mãe de sete filhos, aguardava com duas filhas o preparo de cinco marmitas com panqueca ao forno, macarronada, feijão, arroz, purê de batata, salada crua, beterraba cozida e suco. Moradora do Conjunto Candelária I, no bairro Triângulo, Hosana contou que está desempregada, pois antes da pandemia trabalhava como babá; o esposo faz “bicos” e um dos filhos, que tem 25 anos, encontra-se doente.

Em todos os locais o governador e a secretária da Seas explicaram como ocorreu a criação do Prato Fácil, uma das medidas do Governo, idealizada pela Seas, com vistas a combater a fome, não apenas neste período de pandemia com a covid-19, pois a intenção é que o programa seja contínuo, inclusive com a ampliação para o interior do Estado e credenciamento de novos empreendimentos na capital.

“O Prato Fácil é um programa pensado também para o pós pandemia”, reforçou o governador, que em todas as falas também tem destacado o fato de que antes havia apenas um restaurante na zona Leste e que agora são cinco unidades distribuídas pela capital, contemplando um número maior de beneficiários.

Para Aline Semprebom, proprietária do restaurante que leva seu sobrenome Semprebom, o programa também foi visto como uma alternativa para ampliar o trabalho social que ela já desenvolvia, vendendo a R$ 1 os alimentos que não eram consumidos no atendimento do dia. “Com o Prato Fácil agora realizo esta ação de duas maneiras, atuando em parceria com o governo”.

Aline Semprebom, atendendo no caixa, disse que contratou mais quatro funcionários para um atendimento mais qualificado

Além de beneficiar as famílias com renda per capita de até três salários mínimos com refeições de boa qualidade e a um preço acessível, contribuir com a retomada das atividades nos restaurantes que tiveram que fechar durante a pandemia, o Prato Fácil também fez com que fossem abertas novas frentes de trabalho. Foi o que afirmaram Fernando Carvalho, do Vista do Madeira, que teve que contratar mais sete funcionários para melhor atender ao público do Prato Fácil; e Aline Semprebom, que contratou mais quatro pessoas.

São beneficiários ,do programa membros de famílias cadastradas no CadÚnico do Governo Federal, que possuam renda familiar de até três salários mínimos ou meio salário per capita em cada família.


Fonte
Texto: Veronilda Lima
Fotos: Daiane Mendonça
Secom - Governo de Rondônia

Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu