No Dia do Infectologista, Governo de Rondônia agradece a atuação destes médicos no tratamento de doenças infecciosas



O Governo de Rondônia celebra neste domingo (11), o Dia do Médico Infectologista, dando ênfase a atuação destes profissionais, treinados para realizar o diagnóstico, tratamento e prevenção das doenças infecciosas e parasitárias e que neste tempo de pandemia, vêm mostrando grandeza profissional e dignidade humana no socorro e tratamento de tantos que dependem de seu olhar e intervenção.

O médico infectologista Armando de Freitas Noguera falou da grande missão que é a jornada de vida desses profissionais que exigem de si próprios muito estudo, especializações, dedicação, amor e coragem para atuar neste ramo da medicina, visto que correm riscos altíssimos de serem contaminados por várias doenças graves, como as hepatites, tuberculose, Aids e tantas outras igualmente perigosas.

Estes profissionais enfrentam também, como missão de amor, o sofrimento de uma pandemia como a da covid-19, fazendo o maior esforço possível para curar e disseminar a esperança por onde passar. “Vivemos o tempo todo correndo riscos pela exposição a que somos submetidos e podemos adoecer”, disse Armando.

No âmbito oficial, tanto o secretário da Saúde (Sesau), Fernando Máximo, quanto o governador Marcos Rocha são unânimes em reconhecer a grandeza do esforço dos infectologistas de Rondônia em meio a pandemia do coronavírus. Revelando-se grato a todos os profissionais de saúde do Estado, e sem perder de vista sua missão institucional, de governador do Estado, reforçada por inabalável fé religiosa, o coronel Marcos Rocha destacou o talento, a responsabilidade e a coragem dos médicos infectologistas do Estado, sublinhando o profissionalismo e a fé com que cada um cumpre sua jornada.

ATUAÇÃO

Após anos de estudos e sólida formação clínica, tornam-se especialistas em infecções causadas por vírus, bactérias, fungos e parasitas. Conhecem técnicas diagnósticas e têm conhecimento profundo sobre o uso de antivirais, antibióticos, antifúngicos e antiparasitários, e alguns desses profissionais se aprofundam em temas específicos como Aids, hepatites, infecção relacionada à assistência à saúde (Infecções hospitalares), infecção em transplantados, epidemiologia e diagnóstico laboratorial.

HOMENAGEM

O Dia Nacional do Infectologista, 11 de abril, é uma homenagem ao notável médico Emílio Ribas, que se notabilizou como um dos pioneiros no campo das doenças infecciosas no Brasil, e marca o dia de seu nascimento. Ressalte-se, em tempo, que, entre outros grandes feitos, foi o Doutor Emílio Ribas que provou que a transmissão da febre amarela se dava através da picada do Aedes Aegypti, ao contrário do que até então se pensava, que a transmissão era feita entre pessoas. Para confirmar sua teoria, ele deixou que o mosquito contaminado o picasse com o objetivo de corroborar a sua suspeita, e confirmar sua teoria. Outra obra importante que deixou como legado aos brasileiros foi a criação do Instituto Butantã.


Texto: Cleuber Rodrigues Pereira
Fotos: Frank Nery e Ésio Mendes
Secom - Governo de Rondônia

Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu