<

Segundo dia de vacinação atrai centenas de pessoas



Apesar de a vacinação começar às 8h, uma gigantesca fila de veículos já estava formada às 7h com idosos cheios de expectativa para receber a segunda dose da vacina contra a covid-19 hoje em Vilhena. A Secretaria Municipal de Saúde (Semus) faz até domingo a aplicação do imunizante do Instituto Butantan.

De posse de seus celulares, familiares registraram com alegria o momento da "agulhada" em seus pais, avós, tios e amigos com mais de 80 anos. A cobertura da recepção da Câmara Municipal de Vereadores serviu de abrigo e ponto de parada às centenas de veículos que se acumularam para mais esta fase da campanha "Vilhena Protegida". Por outro lado, a fila se estendeu até a avenida Jô Sato com muitos desejando receber o quanto antes a imunização.


No primeiro dia de vacinação desta campanha de drive-thru (enquanto dirige), na última quinta-feira, foram vacinados 120 idosos, totalizando quase 4 mil doses já aplicadas em Vilhena. De acordo com o Setor de Imunização, até o momento somente 25 pacientes notificaram reações à vacina, sendo a maioria registrada entre aqueles que receberam doses da Fiocruz/Oxford. Todas as reações foram leves e incluíram febre, dor no corpo, dor no local da injeção, dor de cabeça, calafrios e fadiga.

"São reações normais, que já são observadas em boa parte de todas as outras mais de 20 vacinas que têm suas campanhas anuais. Esses sintomas apareceram em apenas 0,6% dos vacinados em Vilhena, até agora. Eles surgem pois o sistema imunológico começa a produzir anticorpos, já que o corpo acredita que houve uma invasão de vírus. Como o vírus presente na vacina está 'morto', ele não causa nenhum sintoma, mas a ativação do sistema de defesa do corpo faz a circulação de sangue aumentar, elevando a temperatura do corpo, e aciona os mecanismos de proteção do corpo inteiro, de uma vez. São sintomas normais e leves que não exigem preocupação", explica Sueli Aparecida da Silva, coordenadora do Setor de Imunização da Prefeitura de Vilhena.

Qualquer reação deve ser comunicada ao WhatsApp institucional do Setor de Imunização, 3322-4170. Os casos são acompanhados de perto pela Prefeitura para posterior notificação ao Ministério da Saúde. De acordo com a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), as reações registradas até hoje no Brasil demonstram "não mostraram nenhuma alteração no perfil de segurança da vacina" observado nos testes.

A vacinação continua neste sábado das 8h às 13h na Câmara de Vereadores, e também estarão disponíveis os postos de saúde Vitalina Gentil, que está funcionando na Policlínica João Luiz (ao lado do Corpo de Bombeiros, na Capitão Castro), o posto de saúde Afonso Mansur (avenida Brigadeiro Eduardo Gomes) e Liro Hoesel (atualmente funcionando no Jardim Greenville, próximo ao cemitério). Já no domingo a vacinação acontece apenas na policlínica João Luiz, igualmente das 8h às 13h.

É necessário apresentar CPF, documento pessoal com foto e cartões do SUS e de vacinas.
Apesar de a vacinação começar às 8h, uma gigantesca fila de veículos já estava formada às 7h com idosos cheios de expectativa para receber a segunda dose da vacina contra a covid-19 hoje em Vilhena. A Secretaria Municipal de Saúde (Semus) faz até domingo a aplicação do imunizante do Instituto Butantan.

De posse de seus celulares, familiares registraram com alegria o momento da "agulhada" em seus pais, avós, tios e amigos com mais de 80 anos. A cobertura da recepção da Câmara Municipal de Vereadores serviu de abrigo e ponto de parada às centenas de veículos que se acumularam para mais esta fase da campanha "Vilhena Protegida". Por outro lado, a fila se estendeu até a avenida Jô Sato com muitos desejando receber o quanto antes a imunização.

No primeiro dia de vacinação desta campanha de drive-thru (enquanto dirige), na última quinta-feira, foram vacinados 120 idosos, totalizando quase 4 mil doses já aplicadas em Vilhena. De acordo com o Setor de Imunização, até o momento somente 25 pacientes notificaram reações à vacina, sendo a maioria registrada entre aqueles que receberam doses da Fiocruz/Oxford. Todas as reações foram leves e incluíram febre, dor no corpo, dor no local da injeção, dor de cabeça, calafrios e fadiga.

"São reações normais, que já são observadas em boa parte de todas as outras mais de 20 vacinas que têm suas campanhas anuais. Esses sintomas apareceram em apenas 0,6% dos vacinados em Vilhena, até agora. Eles surgem pois o sistema imunológico começa a produzir anticorpos, já que o corpo acredita que houve uma invasão de vírus. Como o vírus presente na vacina está 'morto', ele não causa nenhum sintoma, mas a ativação do sistema de defesa do corpo faz a circulação de sangue aumentar, elevando a temperatura do corpo, e aciona os mecanismos de proteção do corpo inteiro, de uma vez. São sintomas normais e leves que não exigem preocupação", explica Sueli Aparecida da Silva, coordenadora do Setor de Imunização da Prefeitura de Vilhena.

Qualquer reação deve ser comunicada ao WhatsApp institucional do Setor de Imunização, 3322-4170. Os casos são acompanhados de perto pela Prefeitura para posterior notificação ao Ministério da Saúde. De acordo com a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), as reações registradas até hoje no Brasil demonstram "não mostraram nenhuma alteração no perfil de segurança da vacina" observado nos testes.

A vacinação continua neste sábado das 8h às 13h na Câmara de Vereadores, e também estarão disponíveis os postos de saúde Vitalina Gentil, que está funcionando na Policlínica João Luiz (ao lado do Corpo de Bombeiros, na Capitão Castro), o posto de saúde Afonso Mansur (avenida Brigadeiro Eduardo Gomes) e Liro Hoesel (atualmente funcionando no Jardim Greenville, próximo ao cemitério). Já no domingo a vacinação acontece apenas na policlínica João Luiz, igualmente das 8h às 13h.

É necessário apresentar CPF, documento pessoal com foto e cartões do SUS e de vacinas.

Postar um comentário

0 Comentários