<

Eyder Brasil pede prestação de contas e sugere CPI da Covid-19 em Rondônia



O Deputado Estadual Eyder Brasil (PSL) ocupou a tribuna da Assembleia Legislativa nesta terça-feira (16), para relatar as atividades da Comissão de Acompanhamento dos Decretos da Covid, que aconteceu na última quarta-feira (10) de forma on-line, e destacou a preocupação dos participantes com os recursos investidos pelo Governo do Estado com relação à prevenção e tratamento do Novo Coronavírus.

De acordo com o deputado, durante a reunião que contou com a participação dos Secretários de Finanças Luiz Fernando Silva Pinto e da Saúde Fernando Máximo, foi solicitado um relatório das duas secretarias para que seja apresentado à população os verdadeiros valores destinados pelo governo federal e as contrapartidas feitas pelo governo do estado neste um ano de pandemia. Os Secretários ficaram de enviar o relatório para a quarta reunião da comissão, que acontece na tarde de quarta-feira, 17.

Na visão de Eyder Brasil a falta de informação quanto aos gastos e investimentos durante a pandemia pode levar a Assembleia Legislativa a instaurar uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Covid, uma vez que “falta transparência na prestação de contas, já que os números informados pelo Governo Federal e os investidos pelo governo do estado não estão batendo. Os nossos rondonienses estão morrendo. A curva da infecção nunca é achatada. Faltam leitos, falta oxigênio, falta medicamentos, falta médico, falta enfermeiros e auxiliares. Precisamos saber onde está indo o dinheiro. Quase um ano de pandemia e não vemos resultados práticos no combate ao Coronavírus”, destacou.

Hospital de Base

Aproveitando a tribuna, Eyder Brasil levou aos demais colegas de parlamento que na manhã desta quarta-feira, 16, recebeu uma denúncia de que estaria faltando alimentos no setor de obstetrícia do Hospital de Base. Preocupado com a situação, Eyder solicitou ao Secretário Fernando Máximo que investigue a situação e que garanta a alimentação dos pacientes, dos acompanhantes e dos servidores, não só do Hospital de Base, mas de todos os estabelecimentos de saúde do Estado.

“Precisamos que o secretário de saúde entenda que não é só o Covid que mata atualmente e que todas as doenças merecem atenção.. Não se pode priorizar uma ação e esquecer do resto. O povo está morrendo, secretário e precisa de atenção da Sesau”, finalizou.


Texto: Jocenir Sérgio Santanna - ALE/RO
Foto: Diego Queiroz-ALE/RO

Postar um comentário

0 Comentários