<

Deputado Adelino Follador anuncia flexibilização dos serviços de táxi no estado



Depois de intensas conversas e negociações, o deputado Adelino Follador (DEM) informou, na última sexta-feira (12), que recebeu da Casa Civil do Governo a notícia da flexibilização dos serviços de transporte de passageiros, permitindo aos taxistas transportar até três passageiros entre a Capital e Interior, praticamente normalizando este serviço que vem sendo bastante prejudicado durante a pandemia.

Segundo ele, um novo decreto será publicado neste final de semana, regulamentando o serviço, de modo que a categoria dos motoristas de taxis e de aplicativos possam trabalhar amparados legalmente, sem o risco de serem multados ou prejudicados em seu trabalho. Esta decisão modifica os termos do Decreto 25.728, que limitou o serviço em dois passageiros (por taxi), como medida de enfrentamento e combate à Covid-19, que fez do Estado de Rondônia, a exemplo do Amazonas, um centro de disseminação da doença em versões ainda mais contagiosas e letais (novas cepas, variantes do vírus), conforme anunciaram pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) em Rondônia.

O deputado já vinha defendendo a flexibilização dessas medidas nesses mesmos termos. Segundo Follador, o combate à Covid-19 é necessário e obrigação de todos, mas explicou que em relação ao transporte dos taxis, não faz sentido transportar dois e não três passageiros, visto que, de qualquer forma, duas pessoas seguem juntas acomodadas ou banco de trás (passageiros) ou ao lado do motorista. “Então não faz sentido, tanto faz transportar dois ou três que os riscos são os mesmos”, disse o deputado informando que recebeu da Casa Civil nesta sexta-feira o sinal verde para edição de um novo decreto que será publicado neste final semana regulamentando o serviço.

“A implementação desta medida é motivo de satisfação para todos”, disse o deputado destacando que ele próprio esteve várias vezes na sede do Executivo pedindo providências, a adoção de medidas para proteger os motoristas, muitos dos quais, segundo Follador, já passando necessidades e sem meios e recursos para alimentar a própria família. Para ele já era tempo de uma solução para atender a esta demanda tão significativa para os trabalhadores do serviço de transporte.

Adelino Follador pediu urgência às autoridades de saúde, na adoção de providências que dinamizem a produção e distribuição das vacinas pelo País. Ele voltou a dizer que como toda pessoa de bom senso continua pedindo que as pessoas, de modo geral, continuem o esforço para o combate da Covid-19, adotando os protocolos de proteção, com o uso de máscaras, álcool 70%, assepsia das mãos e o distanciamento social. “Somente a vacinação em massa poderá pôr fim a esta pandemia, mas enquanto isso não ocorre precisamos estar atentos e adotando todos cuidados”, disse.


Texto: Assessoria
Foto: Marcos Figueira-ALE/RO

Postar um comentário

0 Comentários