<

Furia nomeia esposa de ex-vereador e “incendeia” redes sociais




O prefeito Adailton Furia (PSD) nomeou Georgia Ferreira (que é servidora efetiva lotada na Secretaria Municipal de Administração) para exercer o cargo de assessora na Procuradoria Geral do Município via Função Gratificada em Cacoal.

Porto Velho, RO - A nomeação aconteceu na última segunda-feira, 11, mas só agora publicado no Diário Oficial Eletrônico.

Até aí nada de novidade, não fosse o fato de Georgia ser esposa do polêmico ex-vereador Mário “Jabá” Moreira.

O caso foi levado à tona num grupo de WhatsApp na manhã desta quarta-feira, 13, com sérios questionamentos e acusações contra o ex-parlamentar, de ser um crítico ferrenho de portariados na gestão da ex-prefeita Glaucione Rodrigues (MDB).

No diálogo, alguns participantes do grupo contestaram a nomeação e lembraram das acusações de Jabá contra os servidores comissionados. “Ele atacava dizendo que quem vive de portaria é quem não quer trabalhar”, disse um.

Outro participante esclareceu que a discussão não é questionar a competência da esposa do ex-parlamentar e sim o contexto político que possibilitou essa nomeação, já que Jabá, quando era vereador, sustentava um determinado discurso esculhambando portariados.

No mesmo grupo, Jabá se defendeu dizendo que não tem nada a ver com a nomeação, mas elogiou ao considerar a atitude do prefeito “inteligente” e lembrou a operação “Reciclagem” que mandou quatro prefeitos de Rondônia à prisão em 2020, entre eles, Glaucione Rodrigues (leia mais AQUI).

“Advogada há 25 anos, servidora pública do município de Cacoal há 20 anos, competente e honesta; esses requisitos não deram muito certo com a administração ‘Reciclagem’ e laranja passadas. E acredite se quiserem: eu não tenho nada a ver com essa escolha, só que lhes garanto foi mais uma atitude inteligente do prefeito Fúria; foi por mérito dela. Outra coisa tanto o Fúria como minha esposa principalmente sabe que na hora e no dia que eu precisar criticar o Fúria irei fazer isso sem problema algum”, explicou.

Ele continuou afirmando que “na administração ‘Reciclagem’ eu não fui pedir favor a ninguém, e minha esposa foi a primeira a dizer assim: ‘podemos comer água e pão, mas não se venda as esses corruptos’. E assim eu fiz até o último dia do meu mandato. Nunca fui acusado por nada na vida pública. Nunca nem eu nem a minha família estivemos envolvidos em corrupção”.

Fonte: EXTRA DE RONDONIA 

Postar um comentário

0 Comentários