<

Fórum Amazônia+21 apresenta ações de investimentos sustentáveis em Rondônia



Brasília – Os desafios de desenvolver o estado, sem degradar o meio ambiente amazônico foi tema da participação do governador de Rondônia, coronel Marcos Rocha, no Fórum Amazônia+21, nesta quinta-feira (5), na Confederação Nacional da Indústria (CNI).

O desejo de evoluir e conhecer tecnologias pela população foi explicado pelo governador de Rondônia, como sua frequente missão de atender a essas expectativas. “São 23 milhões de pessoas que vivem na região amazônica e que desejam crescer e aprender a usar tecnologia. Porém, há pessoas que não conhecem essa realidade e apesar de amarem a nossa floresta, não sabem o que é viver lá”, pontuou Rocha.

O desenvolvimento do agronegócio em consonância com a preservação da mata nativa, também esteve na pauta do encontro. O governador de Rondônia ressaltou que o estado tem um dos maiores projetos de REDD+ (recompensa financeira para Redução de Emissões de gases de efeito estufa provenientes do Desmatamento e da Degradação florestal) do mundo e o único do Brasil. “Na reserva Rio Cautário, a nossa população local, vive dessa biodiversidade, produzindo e ao mesmo tempo sustentando e protegendo a natureza. Precisamos, a partir desse fórum aqui, trazer à tona um diálogo inteligente e mostrar para o Brasil e para o mundo a importância da nossa área”, afirmou Marcos Rocha.

Desenvolver com sabedoria

Frente às necessidades mundiais de riquezas naturais, Rocha expôs o equilíbrio entre transformação e desenvolvimento do cidadão. Segundo ele, somente com sabedoria é que se pode pensar em proteger o bioma, pensando nas gerações futuras e prosperar a sociedade. O governador citou a abundância de diamante e cassiterita que se encontram em Rondônia. “Estamos realmente em berço esplêndido. Somos ricos, mas ainda somos pobres”, resumiu.

O Fórum Amazônia + 21 visa mapear perspectivas e buscar soluções para o desenvolvimento da região e melhoria da qualidade de vida dos cidadãos que vivem na Amazônia Legal. O programa é uma realização da FIERO, Prefeitura de Porto Velho, através da Agência de Desenvolvimento (ADPVH), com correalização da Confederação Nacional da Indústria (CNI) e Instituto Euvaldo Lodi (IEL). As reuniões de novembro do Fórum Mundial acontece de 4 a 6 de novembro e o tema: O Brasil não pode ficar para trás na economia de conservação da floresta, tem como mediador, o superintendente Estadual do Desenvolvimento Econômico e Infraestrutura de Rondônia (SEDI), Sérgio Gonçalves. Também participou o presidente da FIERO (Federação das Indústrias de Rondônia), Marcelo Thomé.






Texto: Alex Nunes
Fotos: Sandro Damasceno / CNI
Secom - Governo de Rondônia

Postar um comentário

0 Comentários