<

Municípios alvos de operação da PF estão sem prefeitos


Dos quatro municípios que foram alvo da Operação Reciclagem, desencadeada pela Polícia Federal e Ministério Público de Rondônia na sexta-feira, apenas Rolim de Moura já empossou um novo prefeito temporário após o afastamento do titular Luiz Ademir Schock. O vice Fabrício Melo de Almeida assumiu na manhã desta segunda-feira. Outros prefeitos afastamentos acusados de corrupção são Gislaine Clemente (São Francisco do Guaporé), Marcito Aparecido Pinto (Ji-Paraná) e Glaucione Maria Rodrigues Neri (Cacoal).

De acordo com o Tribunal de Justiça de Rondônia, a decisão pelo afastamento dos prefeitos foi tomada pelo desembargador Roosevelt Queiroz Costa e vale por 120 dias, muito além do prazo para o fim das gestões dos acusados.

Segundo apurou o RONDONIAGORA, as procuradorias dos municípios de Ji-Paraná e Cacoal estão aguardando a notificação do Tribunal de Justiça que confirma o afastamento dos prefeitos, para então serem convocados os substitutos. A assessoria de São Francisco não respondeu ao questionamento.

Em Ji-Paraná quem deve assumir é o presidente da Câmara Municipal, Affonso Cândido, uma vez que Marcito era o vice-prefeito e assumiu a titularidade com a renúncia de Jesualdo Pires.

Na mesma situação está Cacoal, que não tem vice-prefeito, uma vez que o eleito em 2016, Cirone Deiró, assumiu mandato na Assembleia Legislativa.Com a prisão da prefeita Glaucione Rodrigues quem deve assumir a Prefeitura é o presidente da Câmara, Valdomiro Corá.




Fonte: Rondôniagora

Postar um comentário

0 Comentários