<

Suspeito aproveitava saída da família para abusar de menina no ES



Suspeito de estuprar e engravidar uma menina de dez anos no Espírito Santo, o homem preso nesta terça-feira (18) trabalhava como ambulante em uma praia no município de São Mateus (ES) com a família dela e apresentava desculpas para ir para casa para poder ficar sozinho com a criança e cometer os abusos, segundo o secretário de Estado da Segurança Pública, coronel Alexandre Ramalho, com base em relatos de familiares da criança. A informação também foi confirmada pela reportagem com outra fonte ligada ao caso.

“A mãe [da criança] é falecida, com histórico de ser andarilha. O pai está preso. Ela é criada pela avó e pelo avô, que são humildes, ambulantes, trabalham vendendo coco”, afimou o secretário. “Cometido esse crime, é um monstro que não merece viver no seio da sociedade.”

Depois de ser preso em Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte, o suspeito de 33 anos afirmou à polícia que mantinha um relacionamento com a criança desde o ano passado. A menina relatou em depoimento que era abusada por ele há cerca de quatro anos.

O superintendente de Polícia Regional Norte, delegado Ícaro Ruginski, afirma que não há consentimento legal para qualquer tipo de relacionamento considerando a idade da criança.

O suspeito, que era companheiro de uma tia dela, ainda acusou outros familiares de abusarem da menina. A hipótese será investigada pela Polícia Civil do Espírito Santo, mas o delegado responsável pelo caso, Leonardo Malacarne, diz acreditar que o suspeito seja o único autor dos abusos. Ele foi indiciado na quinta-feira por estupro de vulnerável e ameaça.

As buscas por ele foram feitas na Bahia e nas cidades mineiras de Nanuque e Betim, onde foi encontrado na casa de familiares após ser monitorado por policiais. O secretário de segurança disse ainda que houve negociação entre o suspeito e a polícia, mas que o homem decidiu se entregar porque começou a temer pela própria vida.

No Espírito Santo, onde ainda será ouvido formalmente, ele será encaminhado à Penitenciária Estadual de Vila Velha 5, no complexo de Xuri, em Vila Velha, uma unidade destinada a autores de crimes sexuais, de acordo com o governo do estado.






Fonte: FOLHAPRESS

Postar um comentário

0 Comentários