<

Polícia acredita que mensagem de Flordelis a filha foi código para executar plano para matar Anderson


Anderson com Flordelis


A polícia do Rio de Janeiro informou que um código usado pela deputada federal Flordelis, que é pastora, deu início a um plano para matar o pastor Anderson do Carmo. De acordo com as investigações, a própria parlamentar deu o sinal para que o plano de matar o religioso entrasse em ação. Às 3h03 do dia 16 de junho de 2019, um domingo, ela mandou uma mensagem para a filha adotiva Marzy Teixeira da Silva, presa na segunda-feira (24). "Oito e quinze me chama", escreveu a deputada. Anderson morreu meia hora depois.

De acordo com o inquérito, o pastor foi morto por questões financeiras e poder na família. Ele controlava todo o dinheiro do Ministério Flordelis, atualmente rebatizado Comunidade Evangélica Cidade do Fogo.

Investigadores disseram ter evidência pelo celular que Marzy teria acionado Flávio dos Santos, filho biológico de Flordelis e apontado como autor dos disparos que mataram o pastor. Santos foi preso no velório do padrasto.

Após o crime, Flordelis afirmou em depoimento e à imprensa que o pastor teria sido morto em um assalto. Ela responderá por cinco crimes: homicídio triplamente qualificado (por motivo torpe, meio cruel e impossibilidade de defesa da vítima), tentativa de homicídio (pelo envenenamento), falsidade ideológica, associação criminosa e uso de documento falso.



Fonte:  Brasil 247/ (Foto: Arquivo Pessoal)

Postar um comentário

0 Comentários