<

Pais e alunos aprovam aulas remotas neste período de pandemia



A rotina de estudos foi afetada com a suspensão das aulas presenciais nas 141 escolas da rede municipal de Porto Velho, como uma das medidas preventivas de combate ao Novo Coronavírus (Covid-19). Contudo, desde março, os estudantes seguem em atividade com o uso da plataforma de conteúdo online denominado Programa “Porto Velho Educação Virtual”.

A ferramenta oferece os recursos pedagógicos às crianças e adolescentes nesta pandemia, período que exigiu o isolamento social, mas o programa tem recebido aprovação de pais e alunos.

A plataforma, que pode ser acessada por computador, tablet ou smartphone, obteve quase 17 mil adesões de estudantes. Os demais, que informaram não dispor de rede de internet em casa para acompanhar as aulas, são subsidiados com conteúdos impressos duas vezes por semana pelas escolas.

EXPERIÊNCIA

Karina Armondes Dias é mãe de Carlos Eduardo Armondes Ferreira, 9 anos, estudante da Escola Municipal Antônio Ferreira da Silva, localizada no bairro São Cristóvão. De acordo com ela, os professores seguem as mesmas regras das aulas nas escolas e os conteúdos disponibilizados são os mesmos dos livros pelo Ambiente de Aprendizagem Virtual (AVA).

“As aulas têm sido bem organizadas, tendo muitas atividades diárias e, exigem um planejamento para não acumular para o outro dia. Tudo tem sido normal, a única diferença é que não há um deslocamento de casa até o prédio e o aluno não vê a professora”, detalhou Karina.

Para os pais a modalidade também exige mais atenção e cuidado na orientação de seus filhos nas tarefas em home-office. “Nós como pais que trabalhamos fora e temos os demais compromissos vemos que é difícil, corrido e cansativo, principalmente com o psicológico”, acrescentou Karina.

Para a mãe, o trabalho “tem dado certo” neste período de pandemia com o apoio do AVA. Afinal, “as dúvidas são sanadas com os professores em tempo real, de forma atenta e, se preciso, grava áudios explicando como desenvolver a atividade e indicando plataformas de vídeos para melhor assimilar o aprendizado”, reafirmou a mãe de Carlos Eduardo.

Já o estudante está recebendo uma sobrecarga positiva em sua vida, mais aprendizado. “É cansativo, estudo mais que na escola, seguindo os conteúdos dos livros e com explicação da professora em aula. Já em casa, preciso ler, estudar e fazer as tarefas, disponíveis diariamente, inclusive temos que fazer exercícios na aula de educação física em casa. Neste caso, tudo é gravado e enviado à professora”, narrou o aluno do 4º ano, Carlos Eduardo.

RETOMADA

De acordo com o titular da Semed, Márcio Félix, as aulas não presenciais serão retomadas nesta sexta-feira (7), após um período recesso. No primeiro semestre, várias estratégias foram adotadas em conjunto com as escolas para alcançar todos os alunos da rede, com orientações à elaboração do Plano de Continuidade Pedagógica (PCP).

“Agora, nesta nova etapa a gente segue caminhando com o Plano de não deixar a educação parar. O objetivo principal é intensificar cada vez mais o trabalho remoto sabendo que, não temos uma data prevista de retorno às aulas de forma presencial. Desta maneira, a Semed está trabalhando para qualificar e melhor desenvolver as nossas atividades via plataforma tecnológicas”, explicou Félix.

PROFESSORES

Através do Departamento de Políticas Educacionais (DPE), sob a direção de Juliene Rezende, os professores participaram de momentos formativos visando ajudar, colaborar e fortalecer o trabalho neste momento de pandemia como, por exemplo, a 1ª Jornada Pedagógica Virtual.

Comdecom

Postar um comentário

0 Comentários