<

Ponte de Abunã e asfaltamento de rodovias federais serão concluídas em Rondônia, afirma Deputado Federal Coronel Chrisóstomo


O deputado federal Coronel Chrisóstomo (PSL), fez uma live em suas redes sociais para confirmar a finalização da pavimentação asfáltica de rodovias federais e a conclusão da ponte que liga o estado de Rondônia ao Acre.


https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=775969646274282&id=278887206056242



No final da tarde desta última terça-feira (23), em reunião com o ministro da infraestrutura, Tarcísio Gomes, o deputado solicitou a manutenção urgente das rodovias para o progresso do estado de Rondônia.
Durante a reunião, destacou a importância da realização destas obras que beneficiarão a população rondoniense, como o asfaltamento da BR 421 de Nova Mamoré a Buriti. No decorrer do diálogo o deputado confirmou a duplicação da ponte do município de JARU e da pavimentação asfáltica da cidade que contará com apoio da engenharia do exército.
Coronel Chrisostomo mencionou ainda a importância da conclusão da ponte de Abunã, que dá acesso ao estado do Acre.
Lembrando que em julho de 2019, Chrisostomo organizou uma reunião com o presidente da república Jair Bolsonaro, o vice-governador Zé Jodan (PSL) e alguns empresários para solicitar a conclusão da ponte de Abunã, localizada sobre o Rio Madeira, na BR-364/Rondônia.


VÍDEO EM ANEXO


Após várias cobranças do congressista, demonstrando os benefícios desta obra ao estado rondoniense , o Ministro, junto a comissão, autorizou a conclusão da ponte.
Ao final da reunião, o deputado confirmou a pavimentação da BR 319/AM que ligará o estado do Amazonas a Rondônia. Segundo o ministro, serão asfaltados os primeiros 52 quilômetros, dos trechos entre os Km-198 ao Km-250. A licitação para a contratação da empresa de asfaltamento, que será responsável pelas obras do primeiro nestes primeiros meses, foi divulgado nesta quarta-feira (24), no Diário Oficial da União.
O ministro afirmou que todas as obras serão concluídas até o final de 2020, garantindo mais facilidade para o transporte da produção agrícola das regiões, maior segurança para as pessoas e redução no tempo de viagens, como afirma coronel Chrisostomo.

Postar um comentário

0 Comentários