<

Restrição de entrada de passageiros do Brasil nos EUA é antecipada para quarta

Coronavírus deve matar até 100 mil nos EUA, diz Trump | Poder360

A Casa Branca comunicou, nessa segunda-feira, que antecipou a restrição de entrada de passageiros oriundos do Brasil nos Estados Unidos. A decisão, que começaria a valer na sexta, passa a entrar em vigor a partir das 23h59 desta terça, no horário da Costa Leste (0h59 de quarta no horário de Brasília). A emenda foi assinada pelo presidente norte-americano Donald Trump.


No domingo, a Casa Branca havia anunciado a proibição da entrada de viajantes oriundos do Brasil, sejam brasileiros ou de outra nacionalidade. Pessoas que estiveram no Brasil nos últimos 14 dias não poderão entrar nos Estados Unidos. A decisão, de acordo com o governo norte-americano, é para proteger o país, uma vez que a América Latina foi considerada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como novo epicentro de coronavírus.

As exceções ficam por conta das pessoas que possuem residência permanente nos EUA, além de cônjuges, filhos e irmãos de americanos e de residentes permanentes. Estrangeiros que possuem vistos específicos, como os que representam outros governos, também estarão excluídos da restrição. Funcionários de companhias aéreas e pessoas convidadas pelo governo dos Estados Unidos para ingressar no país também não entram no decreto.


Até essa segunda, os Estados Unidos registraram 1.660.072 casos confirmados de coronavírus e 23.473 mortes por causa da doença. O Brasil, por sua vez, já contabilizou 374.898 pacientes infectados pela COVID-19 e 23.473 óbitos.


‘Voo de emergência’


Nessa segunda, um dia depois do primeiro anúncio dos Estados Unidos de restringir a entrada de passageiros oriundos do Brasil, a Azul Linhas Aéreas anunciou que faria, nesta quinta, um voo adicional para Fort Lauderdale, em Miami. O avião iria decolar de Campinas às 9h35 e pousaria em solo americano às 17h30. Data e horário, até então, se antecipavam ao decreto.


Mas, de acordo com a companhia aérea, as operações rumo aos EUA funcionarão normalmente para o transporte de passageiros que saem do país norte-americano com destino ao Brasil, além do transporte de cargas.


Bloqueios de Trump


Esta é a quarta vez que Trump decide restringir o ingresso ao país para conter o avanço do vírus. O primeiro bloqueio foi imposto em 31 de janeiro sobre a China. Na sequência, os EUA limitaram a entrada de passageiros vindos do Irã, em fevereiro, e da União Europeia, Irlanda e Reino Unido, em duas decisões tomadas em março.


Na manhã deste domingo, 24, o Conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, Robert O’Brien, afirmou durante entrevista à rede de TV CBS News que a ideia é "proteger o povo americano" e a expectativa é de que a decisão seja temporária. "Esperamos que seja temporário, mas em razão da situação no Brasil iremos tomar todos os passos necessários para proteger o povo americano", afirmou O’Brien.


As restrições impostas anteriormente pelo presidente continuam em vigor, mesmo depois de China e Europa mostrarem sinais de que a epidemia está sendo controlada.



Fonte: Estado de Minas

Postar um comentário

0 Comentários