CORONAVIRUS_02_728X90-px-1.gif
CORONAVIRUS_01_468x60-1.gif

Nota do Chefe da Casa Civil sobre aquisição dos testes de Covid-19



Porto Velho, RO - Nesta sexta-feira (15), o Chefe da Casa Civil, Júnior Gonçalves, prestou uma nota de esclarecimento sobre a venda dos 100 mil testes rápidos para a Covid-19.


CONFIRA:

Prezados,

Com a honradez e transparência que tenho ao longo de todas as minhas atividades, sejam elas como empresário e, atualmente, como servidor público, tenho de explicitar meu repúdio pelo ataque que novamente sou alvo.

Ilações vinculam de forma fantasiosa meu nome, buscando criar uma ilegalidade que não existe, tampouco nunca existirá.

Visível que pessoas sem caráter algum, sequer me procuraram antes de publicarem conteúdos falsos, desrespeitando o mínimo de um jornalismo sério que é ouvir o outro lado. Divulgam fatos desconexos que possuem o interesse nítido em desestabilizar a governabilidade que estamos buscando ter, bem como enfraquecer toda a equipe de governo, não só eu.

Registro com clareza que a pessoa que hoje está no entremeio desta ilação, nunca foi sócia da empresa RCC ALIMENTOS LTDA, ou seja, não possui contrato ou vínculo comigo ou qualquer membro comercial. Alego ainda que esta empresa desde o início de 2019 encontra-se em processo de baixa, estando com suas atividades comerciais praticamente inativas, o que facilmente pode ser confirmada na Junta Comercial de Rondônia.

Ademais, a empresa RCC não tem relação com aquisição de equipamentos médicos, exames ou qualquer outra natureza do tipo, bem como não possui contato comercial com a empresa fornecedora de kits e reagentes para o COVID-19 para o Estado (BUYERBR SERVIÇO E COMÉRCIO EXTERIOR LTDA).

Como já divulgado pela Sesau, as principais informações do processo, tais como, termo de referência, ordem de pagamento, justificativas, nota de empenho e homologação, constam no Portal Transparência: (www.transparencia.gov.br) seguindo todas as orientações, tanto do Tribunal de Contas do Estado (TCE) quanto da Controladoria Geral do Estado (CGE), garantindo assim a transparência dos atos públicos.

Para que fique claro, a época de efetiva atividade da empresa, contávamos com mais de 3.000 usuários ativos nesta rede multinível, a qual minha participação enquanto Presidente era vincular a imagem das ações, realizando o marketing, a divulgação, entre outras atividades, o que explica fotos e vídeos como o que apareço com a Sra. Maíres de Carli, assim como centenas de outras pessoas que tenho registros, e nem por isso tenho relação comercial ou atividade contratual.

A vinculação do meu nome na compra citada, é mais uma das tentativas de criar factóides e narrativas com o intuito de descredibilizar nossas ações e nossa posição firme e irreversível a busca pela boa gestão dos recursos públicos.

É de uma tristeza tamanha que tenhamos que dar atenção a isso no meio de um momento tão delicado para Rondônia e o mundo, onde toda atenção deveria ser voltada as soluções da pandemia que estamos enfrentando com total ética, sendo um Estado reconhecido internacionalmente pela transparência das ações neste período.

Por fim e, mais vez, não acreditem em tudo que lêem. Existe muita gente com velhos costumes que não estão preocupados com a resolução dos problemas, mas sim com a satisfação dos seus interesses pessoais.

Não permitirei tamanha falta de respeito, sobretudo, neste momento de crise de Saúde pública.

Júnior Gonçalves

Postar um comentário

0 Comentários