CORONAVIRUS_02_728X90-px-1.gif
CORONAVIRUS_01_468x60-1.gif

Membros do Ministério Público do Estado de Rondônia acompanham visita a unidade de saúde adquirida pelo Estado para funcionar como Hospital de Campanha



Porto Velho, RO - As promotoras de Justiça Emília Oiye, coordenadora da Força-Tarefa do Ministério Público do Estado de Rondônia para enfrentamento da pandemia do coronavírus (COVID-19) e do Grupo de Atuação Especial Cível e de Defesa dos Direitos Humanos, Cidadania, Consumidor e da Saúde (Gaeciv), e Flávia Barbosa Shimizu Mazzini, da 13ª Promotoria de Justiça (Curadoria da saúde na esfera estadual), acompanharam esse semana uma visita ao hospital Regina Pacis, adquirido pelo Estado para funcionar como hospital de campanha para atendimento de pessoas infectadas pelo coronavírus.

A visita foi feita à convite do secretário de Estado da Saúde, Fernando Máximo, e foi acompanhada também por deputados estaduais que fazem parte da Comissão Estadual de Saúde da Assembleia Legislativa.

Ao contrário do que aconteceu com o deputado Luizinho Goebel, que foi expulso do hospital ao tentar fazer uma inspeção do local, desta vez o gerente filho da doutora Marineis não expulsou a comissão do local.



A promotora de Justiça Emília Oiye é coordenadora da Força-Tarefa do MP para enfrentamento da pandemia do coronavírus.

Com a compra do novo hospital, o Estado vai ampliar a rede em mais 80 leitos clínicos exclusivos para pacientes positivados ou suspeitos de Coronavírus. Já estão disponíveis 32 leitos para pacientes e outros 48 estão em reforma, com o prazo de entrega de 15 dias, segundo contrato.

O secretário informou ainda que posteriormente, mais 60 leitos estarão disponíveis, chegando ao total de 140 leitos clínicos improvisados, que serão ocupados por pacientes em quadros leves, que não necessitem de internação em UTI.“



Fonte: Departamento de Comunicação Integrada (DCI/MPRO)

Postar um comentário

0 Comentários