<

Funcionário da Renault fazem protesto após pressão para redução salario



Porto Velho, RO - O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, Sérgio Butka, afirma que muitos relatos de trabalhadores chegaram na retomada das atividades

Funcionários da Renault do Brasil realizaram na tarde desta terça-feira (5) uma assembleia em frente à fábrica da empresa em São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba. O Sindicato dos Metalúrgicos de Curitiba, responsável pela manifestação, afirma que a empresa está fazendo pressão para que os funcionários aceitem a adesão a MP 936 de manutenção de emprego por quatro meses, que por outro lado corta o salário e a carga horária, com o Governo Federal pagando parte do valor reduzido.

O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, Sérgio Butka, afirmou que muitos relatos de trabalhadores chegaram na retomada das atividades, que aconteceu nesta segunda-feira (4). “Os trabalhadores alegam que há uma pressão muita grande para a redução salarial sem a participação do sindicato. Está havendo uma pressão para que demissões aconteçam para quem não aceitar isso. Um grupo que está em home office seria o primeiro a ter que aceitar a redução sem o sindicato para não ser demitido”, afirmou em entrevista à Banda B.

Butka também afirmou que medidas de segurança prometidas pela empresa para o retorno ao trabalho não estariam sendo cumpridas. “Nesta segunda voltaram a produção do primeiro, segundo e terceiro turno. Em algumas situações, a questão de segurança não foi cumprida na íntegra, como ficar um em cada banco no ônibus e a medição de febre dos trabalhadores nestes veículos, o que também nos preocupa”, disse.


A manifestação gerou aglomeração, o que contraria as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Renault do Brasil

A Renault do Brasil informou por meio de nota que seus diretores decidiram aderir individualmente à MP 936 com redução de 25% da jornada e de salário por dois meses. Para o retorno à produção, a empresa teria ainda adotado cuidados extras em relação à saúde e segurança dos colaboradores. Leia a nota na íntegra:

“A Renault do Brasil informa que seus diretores decidiram aderir individualmente à MP 936 com redução de 25% da jornada e de salário por dois meses. A empresa disponibilizou esta opção aos demais colaboradores das áreas administrativas, sendo a adesão totalmente voluntária. Esclarecemos ainda, que além da complementação de parte do salário pelo governo a Renault se compromete a completar o pagamento até o salário líquido, não havendo assim, redução no salário recebido pelos colaboradores que aderirem à proposta.


Em relação à saúde e segurança dos nossos colaboradores, a Renault preparou um protocolo completo para o retorno à produção. Já na saída de casa, em nossas linhas de ônibus exclusivas, temos a medição da temperatura de cada colaborador e o uso de máscara é obrigatório. Os colaboradores também precisam sentar em assentos distantes. Na entrada do CAS foram disponibilizados tapetes para higienização dos calçados.

Fizemos adaptações nos postos de trabalho, intensificamos a limpeza dos ambientes, demarcamos os espaços coletivos para garantir o distanciamento e adicionamos divisórias de acrílico nas mesas dos restaurantes para garantir a volta para casa com segurança e tranquilidade”.



Postar um comentário

0 Comentários