<

Sema convoca população para pausa de 60 segundos pela conscientização sobre o ruído




Porto Velho, RO - A Prefeitura de Porto Velho, por meio da Subsecretaria Municipal de Meio Ambiente (Sema), vem realizando, desde 2017, atividades de combate ao ruído. Foram promovidas pesquisas científicas e diversas campanhas de educação ambiental. Uma delas é o INAD – Dia Internacional de Conscientização sobre o ruído (em inglês, International Noise Awareness Day).

Essa é uma ação que nasceu em 1996 e que envolve pessoas do mundo inteiro na conscientização sobre o ruído. No Brasil a organização do evento envolve diversos setores da sociedade civil como associações, empresas e universidades que desenvolvem ações de combate à poluição sonora e mostram para a população os danos causados pela exposição exagerada do ruído em nossa saúde.

Este ano a data alusiva é 29 de abril e tem como tema, "Saúde auditiva do trabalhador - Trabalho com ruído, saúde em perigo". Todos são convidados para que, nesta data, façam 60 segundos de silêncio. O horário proposto é das 14h25 às 14h26, para destacar o impacto do ruído excessivo em nossas vidas. "Quem quiser participar dessa mobilização mundial pode interagir nas redes sociais com a hastag #silêncionaquarentena.

O subsecretário da Sema, Alexandro Miranda Pincer, destaca que, em tempos de quarentena - em razão da pandemia causada pelo Covid-19 – os hábitos de trabalho mudaram e muitos profissionais estão trabalhando no modelo home office. "E isto muda o tipo de ruído o qual ficamos expostos. Barulho de veículos, máquinas, eletrodomésticos, música, e até conversas altas na vizinhança podem causar transtornos", disse ele.

Miranda acrescentou ainda que, existem empresas com expediente reduzido, em que o ruído é presente no cotidiano dos trabalhadores. "Algumas dessas empresas possuem a exposição do funcionário ao ruído regulamentada e garantem a proteção adequada do trabalhador. As que não possuem, necessitam de mais atenção, sendo a denúncia, a principal ferramenta para contribuir com a gestão ambiental", alertou o secretário informando o número 0800 647 13 20 para denúncias.



CONSEQUÊNCIAS

Segundo a diretora do Departamento de Gestão de Políticas Ambientais e Mudanças Climáticas da Sema, Lucinara Camargo, independente da origem do ruído, os níveis de pressão sonora (decibéis) podem influenciar direta ou indiretamente na saúde de cada um. "O nível de 70 decibéis (equivale a voz humana alta) pode ser considerado incomodativo, podendo já provocar estresse, falta de concentração, cefaleia, nervosismo e outros", relatou.

Ainda segundo ela, o ruído permitido por lei neste caso é de 8 horas para o nível de 85 dB decibéis (dB), segundo normas regulamentadoras de segurança e saúde no trabalho (NR-15).

Postar um comentário

0 Comentários