<

Mulher grita por socorro em motel e empresário é preso após quebrar quarto e reagir a ação policial em Vilhena



Porto Velho, RO - Homem ameaçou mulher de morte, quebrou quarto e resistiu a prisão

Um empresário de 41 anos acabou preso pela Polícia Militar após barbarizar em um motel localizado na BR-364, saída para Cuiabá, no setor 13, em Vilhena, na noite de domingo, 12 de Abril.

A central de operações da Polícia Militar foi acionada por funcionários do motel que informaram terem ouvidos gritos de socorro de uma mulher que se encontrava em um dos quartos com um homem.

Ao chegarem no local, os funcionários contaram para polícia que era noite de sábado, 11, quando o casal chegou ao motel e por lá permaneceram trancados durante a madrugada e todo o dia de domingo, 12, e durante a noite.

Já era madrugada de segunda-feira, 13 de Abril, quando a mulher começou a gritar por socorro e foi até a janela do banheiro do quarto para pedir ajuda, informando que o homem estava quebrando tudo no local e ameaçando executá-la.

Os policiais intervieram na situação e exigiram que o acusado abrisse a porta, contudo, este desobedeceu todas as ordens, momento em que os policiais arrombaram a porta e constataram que o apartamento estava totalmente danificado e que havia odor de entorpecentes e muita fumaça no local.

Visivelmente embriagado, o homem resistiu a ação policial, tentando agredir os militares, sendo contido e preso em flagrante. Ele que se apresentou como sendo empresário na cidade.

A polícia resgatou a mulher de 31 anos que havia se trancado no banheiro, para evitar que o marido lhe agredisse ou até mesmo, praticasse um homicídio contra a mesma.

Aos policiais, ela alegou que haviam ido ao motel na noite de sábado e permaneceram no quarto ingerindo bebidas alcoólicas e fazendo o uso de cocaína e que inclusive, teria recebido o entorpecente na área externa do motel.

Diante dos fatos, o homem foi preso e conduzido para Unidade Integrada de Segurança Pública (UNISP) por dano ao patrimônio privado, posse de entorpecentes, ameaça e resistência a prisão.

Postar um comentário

0 Comentários