<

Gusttavo Lima é processado por ‘lives’ com bebida alcoólica; cantor arrecadou toneladas de alimentos




Porto Velho, RO - O Conar (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária) abriu representação ética contra ações publicitárias de responsabilidade da Ambev (cervejaria patrocinadora) e do cantor Gusttavo Lima.

O órgão recebeu denúncias de consumidores com críticas à publicidade de bebidas alcoólicas nas transmissões. A denúncia diz que falta de mecanismo de restrição de acesso ao conteúdo das lives para menores de idade e “a repetida apresentação de ingestão de cerveja, em potencial estímulo ao consumo irresponsável do produto”.

Realizada na noite do último sábado, 11, a aguardada segunda live do cantor sertanejo arrecadou mais de 500 mil reais em alimentos para pessoas que vivem em situação de vulnerabilidade social em Aparecida de Goiânia.

Em uma rede social, o cantor disse que ‘live’ politicamente correta não tem graça. “Acho que o grande segredo da live é tirar o lençol do fantasma. Acho que uma Live engessada e politicamente correta não tem graça. O bom são as brincadeiras, a vontade, levar alegria alto astral para as pessoas que estão agoniadas nesse momento. Não farei Live pra ser censurado”.

O cantor lembrou também que, junto a seu público, ajudou muitas pessoas. “Juntos, ajudamos muitas pessoas. Foram toneladas de alimentos e arredações… Fizemos nosso papel, Deus abençoe a todos!!!”, declarou.

Vale lembrar que a funkeira Valesca Popozuda usou um pênis de borracha como microfone em uma ‘live’ e não teve nenhuma punição além da transmissão interrompida no Instagram.

Postar um comentário

0 Comentários