<

Empresa demite 100% dos funcionários, o momento difícil exige o máximo de solidariedade, a “guerra” de egos e excesso de informações dispensáveis

Porto Velho, RO - Demissões – A informação é do competente e bem informado profissional de comunicação do Estado, do site “O Que da Notícia”, o polêmico, mas respeitado, Aor Oliveira. A Madeireira Mezumo, de Ariquemes, uma das mais importantes do Estado demitiu 100% dos funcionários, dentre eles alguns com quase uma década e meia de trabalho. Como a empresa não produz, também não vende, não fatura, não recebe e não tem como manter a folha de pagamento e o caminho é a demissão. Caso o mundo continue sem a descoberta da vacina para o coronavírus as demissões serão crescentes a cada dia em todos os segmentos.

Tecnologia – Mesmo as pessoas reticentes à parafernália eletrônica, inclusive empresários bem-sucedidos como Sílvio Santos, do SBT, que sempre teve ojeriza ao mundo tecnológico estão aderindo ao mundo moderno, devido ao coronavírus. Hoje a Telesena pode ser comprada por aplicativo. Cabe o velho ditado: “A Necessidade faz o Sapo Pular”. Ontem publicamos, que a tecnologia utilizada nos bancos, neste período de crise mundial se constatou que duas pessoas podem fazer o serviço de dez com a mesma qualidade e eficiência. Isso vai ocorrer em todos os segmentos, e será um desafio para nossos governantes: equilibrar o desemprego em massa.

Solidariedade – Os atuais tempos difíceis com o coronavírus preocupando o mundo, o brasileiro, apesar do momento delicado não se furta em ajudar o próximo. Na última semana o grupo União de Jornalistas liderado pela colega Yale Dantas promoveu uma ampla campanha recolhendo cestas básicas para uma entidade da capital. Um sucesso. A participação dos colegas foi ótima e a entrega das mais de 30 cestas, além de roupas e calçados ocorreu ao Centro Provisório de Serviço à Pessoas em Situação de Rua, em Porto Velho, na Paróquia Sagrada Família no Bairro Embratel, na última terça-feira (7).

Solidariedade II – A partir da próxima terça-feira (14), a Escola do Legislativo, da Assembleia Legislativa (Ale) no horário das 8h às 12h e das 14h às 18h inicia campanha para arrecadar cestas básicas, materiais de limpeza e de higiene para distribuir as mulheres que trabalham no mercado informal em Porto Velho e estão passando necessidades, porque não têm como trabalhar. A escola da Ale, está com as aulas suspensas, devido ao coronavírus, enquanto durar o decreto de Calamidade Pública. Quem tem condições, ajude, “porque a situação das mulheres que madrugam para preparar bombons, balas, bolachas e outros alimentos para vender de manhã e garantir o almoço é crítica”, diz o diretor geral da escola, Fábio Ribeiro, que coordena a mobilização com apoio dos deputados.


Coronavírus – O excesso de informação, sendo a maioria defendendo interesses de grupos em detrimento da maioria da população é o que ocorre no mundo tendo como pano de fundo o coronavírus. A todo instante tem um “especialista” falando sobre o que pode e o que não pode; que o medicamento tal seria o caminho, que a solução é “X” ou “Y”. Mas com todo o avanço tecnológico atual, desde novembro de 2019, que o coronavírus vem matando pessoas no mundo sem que se consiga uma vacina, que o polonês Albert Sabin, por exemplo, criou contra a poliomielite na década de 60, quando o carro do momento era o fusca. Hoje os “gênios” vão à lua e não conseguem uma vacina contra o coronavírus, mas estão a todo momento falando nada com coisa nenhuma. Seria o fim do mundo? Ou o fim da rosca?

Respigo

Amanhã (10) é feriado nacional. É o dia que os religiosos lembram a morte de Jesus, e que ressuscitou no terceiro dia, Domingo de Páscoa +++ As cobranças por ações do Procon-RO resultaram em fato positivo para a população. Hoje (10) já era possível encontrar postos de combustíveis vendendo a gasolina a R$ 4,25 o litro +++ Até ontem (9) o litro mais barato era R$ 4.37. Estamos passando por momentos difíceis em todos os segmentos, mas o povo não pode ser explorado por segmentos insensíveis às dificuldades do povo +++ O mesmo problema ocorre em supermercados, açougues, farmácias, etc. O Procon existe para defender os interesses da comunidade e não pode ser tão inoperante no cumprimento de sua obrigação.


Por Waldir Costa / Rondônia Dinâmica

Postar um comentário

0 Comentários