<

Cremero diz que alerta sobre 50 mil casos em abril e 500 mil em maio era apenas estimativa



Porto Velho, RO - Um mês após defender em entrevista coletiva um estudo de seus conselheiros afirmando que Rondônia poderia ter 500 mil casos de Coronavírus no próximo dia 2 de maio, o Conselho Regional de Medicina do Estado de Rondônia (Cremero) agora diz que tudo era apenas estimativas sobre a possível disseminação da doença no Estado. A manifestação foi divulgada no site da entidade e não mais em uma coletiva.

Em 27 de março o Cremero divulgou pesquisa, realizada pelos conselheiros pesquisadores Ana Lucia Escobar e Vinícius Ortigosa Nogueira, a partir de fontes oficias como a Associação de Medicina Intensiva Brasileira, Associação Brasileira de Infectologia, Centro de Pesquisa Clínica do Hospital Sabará, e artigos internacionais.

Segundo o estudo, o número de casos do novo Coronavírus poderia chegar a 500 mil em todo o Estado a partir de maio. Segundo Ana Lúcia Escobar os casos começarão a crescer na segunda quinzena de abril, podendo chegar a 500 mil no início de maio. Ela disse, que até meados de maio toda a população poderá estar apresentando algum sintoma da doença. “Nos últimos dias eu procurei fazer uma análise do que está por vir e do que está acontecendo no nosso estado. Busquei alguns critérios e parâmetros para estimativas de casos”, disse na ocasião;


A pesquisa avaliou o comportamento do Coronavírus em cenários otimistas e pessimistas. Esses dados eram os pessimistas. O otimista também era alarmante: o Estado poderá ter 134.582 novos casos de Coronavírus até maio. Os números apurados seriam baseados na população residente com a taxa de letalidade do vírus, conforme a faixa etária.

Eram estimativas

Em uma “Nota à sociedade”, o Cremero tentou explicar a situação, afirmando que os estudos não eram seus, mas de dois docentes e profissionais da Saúde. Na realidade são seus conselheiros: Ana Lucia Escobar (Titular) e Vinícius Ortigosa Nogueira (suplente).

O Conselheiro reiterou que tudo eram estimativas e buscava difundir ações para contribuir com o “achatamento da curva”. E finaliza: “O baixo número de infectados em Rondônia revela a importância do isolamento social, medida esta, defendida pela autarquia desde início da pandemia”.

Confira na íntegra:

O Conselho Regional de Medicina do Estado de Rondônia (Cremero) divulgou no dia 27 de março em coletiva de imprensa dados com ESTIMATIVAS sobre possível disseminação do Coronavírus em todo o estado de Rondônia.

Os estudos, realizados por dois docentes e profissionais da saúde, apontaram números em perspectivas pessimistas e otimistas e foram, conforme amplamente divulgado, embasados em pesquisas e dados baseados em evidências existentes.

Como uma autarquia, que luta pela Medicina e pela melhora na qualidade do atendimento na área da saúde de nossa população, o Cremero em nenhum momento deixou de oferecer e esclarecer informações sobre todas as ações que vem desenvolvendo durante esse período de pandemia.

O estudo apresentado causou estranheza e gerou especulações na mídia. A autarquia reitera que o estudo mostrou a ESTIMATIVA dos vários cenários possíveis da doença no Estado.

O compromisso do CREMERO sempre foi em difundir ações para contribuir com o achatamento da curva de disseminação, tendo como objetivo não atingirmos esses índices.

O baixo número de infectados em Rondônia revela a importância do isolamento social, medida esta, defendida pela autarquia desde início da pandemia.

O Cremero se coloca à disposição para quaisquer outras informações.

Postar um comentário

0 Comentários