Netanyahu anuncia "grande vitória" nas legislativas de segunda-feira



Porto Velho, RO - O primeiro-ministro interino de Israel, Benjamin Netanyahu, anunciou "grande vitória" nas eleições legislativas, enquanto o principal rival, Beny Gantz, pediu para esperar pelos resultados finais para saber se existe maioria parlamentar.

"É uma vitória contra todas as probabilidades", declarou nessa segunda-feira (2) à noite Netanyahu, diante de centenas de apoiadores reunidos na sede de campanha.

"Conversei recentemente com todos os líderes das facções de direita. Faremos tudo para formar um amplo governo que seja bom para Israel", disse o líder do Likud (direita), acrescentando que as reuniões com os partidos restantes vão começar na próxima terça-feira.

De acordo com as sondagens, o Likud poderá obter entre 36 e 37 lugares no Parlamento, contra 32 a 33 da formação centrista Kahol Lavan (Azul e Branco), de Benny Gantz.

As previsões são de que, embora tenha ultrapassado Gantz, Netanyahu não consiga os 61 lugares, dos 120 do Parlamento, necessários para formar um governo de coligação com os parceiros tradicionais, a extrema direita (Yamina, sete assentos) e partidos ultraortodoxos (SHAS e Judaísmo Unido da Torá, entre nove e sete).

Por outro lado, numa sede de campanha quase vazia, Benny Gantz admitiu o desapontamento com os resultados eleitorais: "Partilho o sentimento de decepção e dor. Esperávamos outro resultado".

Apesar disso, Gantz pediu para esperar "pelos resultados finais, porque podem acabar não sendo diferentes dos de abril", quando Netanyahu venceu as eleições, mas depois falhou a tentativa de formar um governo, que iniciou o bloqueio político que dura até hoje.

Gantz referiu-se ainda ao julgamento que Netnayahu enfrentará em 17 de março, afirmando que "independentemente dos resultados das eleições, os processos criminais são decididos apenas na sala de audiências".

Essa situação judicial vai determinar, além dos resultados das eleições, se Netanyahu pode receber o mandato de presidente isaelense para formar governo.

Desde as últimas eleições, Netanyahu tornou-se o único primeiro-ministro israelense em função acusado de suborno, fraude e abuso de confiaça em três casos de corrupção, com o início do julgamento marcado para 17 de março.

Os israelenses foram chamados na segunda-feira às urnas, pela terceira vez em menos de um ano, devido ao impasse que resultou dos escrutínios anteriores.

Fonte: RTP*

Postar um comentário

0 Comentários