Deputado Adailton Furia cobra contrapartida do Detran para pessoas de baixa renda



Parlamentar afirma que o departamento vem obtendo muito lucro, devido a taxas altas


Na sessão ordinária desta terça-feira (10), o deputado Adailton Furia (PSD) lembrou que no início de 2019 houve na Assembleia Legislativa a sabatina do Detran. “Me senti na obrigação de reivindicar uma cobrança da população, que é a redução dos valores das taxas. Na ocasião, o diretor sabatinado fez o compromisso de rever esses valores”, detalhou.

Furia lembrou que na segunda-feira (9) o diretor-geral do Detran, coronel Neil Aldrin Faria Gonzaga, informou foi elaborada uma tabela para ser apresentada ao governo, com reduções significativas nas taxas.

O parlamentar citou que a taxa de emissão de segunda via de documento do veículo cairá de R$ 240,00 para R$ 54,00. A taxa de transferência passará de R$ 350,00 para R$ 300,00; e a taxa para troca de placas passará de R$ 359,00 para R$ 300,00.

O parlamentar reconheceu que há algumas reduções, mas mesmo assim chamou a atenção para superávits médios de R$ 34 milhões a cada ano, sendo que recentemente o valor aumentou muito.

“Em 2019 o superávit foi de R$ 70 milhões. Hoje o Detran tem em caixa R$ 145 milhões. O que o Detran faz com tanto dinheiro? Onde foi parar o dinheiro ao longo desses tempos? A perspectiva de superávit neste ano é de R$ 80 milhões”, avisou Furia.

Ele citou que o Detran vem obtendo muito lucro, tirando dinheiro das costas do contribuinte, e o Estado, mesmo cobrando tanto, não consegue dar uma contrapartida à população. Para o deputado, a autarquia deveria pelo menos parcelar multas de proprietários de motos, que são pessoas de baixa renda

“Não peço para parcelar multa de dono de caminhonete, que tem condições de pagar. Eu peço pelos pequenos, pelos que mais precisam”, afirmou.

Texto: Nilton Salina-ALE/RO

Foto: Marcos Figueira-ALE/RO

Postar um comentário

0 Comentários