URGENTE

Alckmin diz que, se eleito, vai pagar metade do valor do botijão de gás de 8 milhões de famílias carentes



O candidato pelo PSDB à presidência da República, Geraldo Alckmin, afirmou nesta segunda-feira (3), em São Paulo, que se eleito, o governo irá pagar metade do botijão de gás para 8 milhões de famílias, que já possuem auxílio na energia elétrica. Segundo ele, a medida é para ajudar a população carente a ter acesso a melhor alimentação.


Alckmin fez caminhada por bairros da capital paulista. Ele cumprimentou eleitores e visitou comerciantes da região.


“Há um dado do IBGE de que 17% da população não consegue pagar o gás, usa até lenha. É uma medida social importante, porque tivemos um aumento abrupto do preço do petróleo. Não há nada mais importante que uma boa alimentação, e eu como médico tenho que promover saúde, e o melhor remédio é uma boa alimentação”, disse.



“Nós vamos pagar metade do botijão de gás para todas aquelas famílias que estão na tarifa social da energia elétrica. Você já tem o cadastro, são em torno de 8,3 milhões de famílias, que têm redução no valor da luz, e vamos dar metade do valor do gás “, disse.




O subsídio custará ao governo federal R$ 2 bilhões ao ano, segundo o candidato. O dinheiro, de acordo com Alckmin, virá da redução de desperdício e corte de despesas desnecessárias na União.


Quando questionado sobre por quanto tempo pagaria o benefício, Alckmin disse que será pelo "tempo necessário”.


O candidato do PSDB conversou com a imprensa após uma reunião do comitê da campanha em São Paulo.


Em seguida, Alckmin visitou uma unidade do restaurante Bom Prato, que vende comida subsidiada a R$ 1,00 para a população carente.


Algumas pessoas gritaram para que o cardápio fosse mudado. Em seguida, Alckmin caminhou pelas ruas próximas, no Bom Retiro, no Centro de São Paulo, cumprimentando motoristas e pedestres.





Geraldo Alckmin (PSDB) se reuniu com aliados em São Paulo na manhã desta segunda (03)
Jornal Hoje
















--:--/--:--









Geraldo Alckmin (PSDB) se reuniu com aliados em São Paulo na manhã desta segunda (03)





Incêndio no Museu Nacional



O presidenciável foi questionado sobre o incêndio que na noite deste domingo (2) destruiu o acervo do Museu Nacional, no Rio de Janeiro.


Alckmin classificou o episódio de "tragédia que levou anos de história". Ele também disse que o orçamento federal para cultura é pequeno, o que, na opinião do candidato, exige modernização da gestão.


“O orçamento da cultura na área federal é pequeno, você tem que modernizar a gestão. Em São Paulo, nós tivemos bons resultados com OSs [Organizações sociais] em contratos de gestão com melhores resultados. É muito triste o que aconteceu no museu do Rio de Janeiro, é uma tragédia que levou anos de história”, disse Alckmin.

Nenhum comentário